Direção da ECT através da ADCAP quer criar sindicato nacional nos Correios

Compartilhar:

Na manhã do sábado (15) uma comissão de trabalhadores dos Correios que participavam do Conselho de representantes (Conrep) da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios), em Brasília/DF, foi até o auditório do Sindicato da Polícia Federal, setor de clubes, onde estava marcada uma “assembleia” dos chefes dos Correios para a fundação de um  sindicato nacional dos analistas e técnicos dos Correios.

Um golpe para impor um novo sindicato na base sindical dos Correios em todos os estados do Brasil.

Ao chegar lá, cerca de vinte trabalhadores de diversas áreas dos Correios (operacional e técnico) foram barrados na portaria, onde era permitida apenas a entrada de pessoas que constassem seus nomes na lista de presença.

Verificou-se que na lista em poder do porteiro havia apenas 38 nomes.

Diante disso, os trabalhadores se manifestaram contra o golpe da direção da ECT (ADCAP) em frente ao portão do clube dos policiais federais.

O golpe dado pela direção da ECT, realizando a assembleia no sindicato da Polícia Federal só mostra que essa ação está totalmente ligada a situação política de golpe.

Pois é justamente a polícia federal quem está por trás da perseguição política aos lideres do PT e com a possibilidade da prisão de Lula, os próximos a serem perseguidos serão os sindicalistas e lideres populares.

 

 Uma capitulação da direção da Fentect e da “oposição”

 

De imediato, é importante destacar a capitulação de praticamente todos os setores da direção da Fentect que não apoiaram a proposta feita pelo dirigente da Corrente Ecetistas em Luta (PCO), Edson Dorta, de que os delegados presentes ao Conrep (cerca de 200) fossem ao local impedir a realização da “assembleia”, desmascarando a fraude de setores patronais, ligados ao PSDB, Força Sindical, UGT e outras máfias golpistas que querem dividir a categoria, inclusive, enfraquecendo a sua federação nacional, a Fentect.

Contra essa proposta se colocaram todas as alas da direção da Fentect, como a Articulação-PT, o PSTU-Conlutas e a direção do Sintect-MG, cujo dirigente mais conhecido e ex-presidente do Sindicato, Pedro Paulo de Abreu Pinheiro, afirmou que isso só seria possível se houvesse “uma preparação anterior” com apoio de “seguranças”  uma vez que a atividade era realizada no Sindicato da PF. Os supostamente “combativos” e discursadores a favor da “revolução”  e críticos da direção da CUT, mostraram toda sua covardia e cumplicidade com este novo ataque de setores patronais, ligados as administradores postais da ADCAP. Isso depois de terem apoiados os patrões da ADCAP nas eleições do Postalis (plano de Previdência dos Correios) em mais de um oportunidade.

Outra farsa é que a direção da Fentect, segundo se soube depois, sabia da iniciativa golpista há mais de um mês e sua direção decidiu apenas adotar medidas jurídicas contra a iniciativa patronal que, inclusive, abre caminho para intensificar a liquidação da própria Fentect, começando pelos sindicatos mais débeis da categoria.

O Conrep estava se encerrando quando fechávamos esta edição, com muitas outras traições aos trabalhadores dos Correios. Não perca o balanço na nossa próxima edição.

 

artigo Anterior

Condenação de Lula: não existe meio termo

Próximo artigo

Comerciários começam a ser escravizados com “reforma” trabalhista

Leia mais

Deixe uma resposta