Servidores da Universidade Estadual da Bahia estão em greve

Compartilhar:

Nesta segunda-feira (26), os servidores da Universidade Estadual da Bahia (UNEB) iniciaram uma greve em todos os 29 departamentos da instituição. A paralisação está marcada para durar, pelo menos, até o dia 30 de junho, dia da greve geral. A administração central da Universidade, o Museu de Ciência e Tecnologia, o prédio administrativo na Pituba e o polo independente de Canudos também serão paralisados.

A greve é organizada pelo Sindicato do Trabalhadores em Educação no Terceiro Grau no Estado da Bahia (Sintest-BA). Os trabalhadores reivindicam que promoções e progressões, paradas desde ano passado, sejam encaminhadas. Além disso, cobram reajuste de salário e do auxílio alimentação.

Como não poderia ser diferente, a greve da UNEB é também contra as reformas e contra o golpe e os golpistas.

Os trabalhadores informaram que os portões serão fechados a as aulas não acontecerão. Porém, os atendimentos médicos e psicológicos funcionam normalmente.

Em todo o Brasil, a política dos golpistas está destruindo as universidades públicas. Casos como a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), em que os trabalhadores estão sem receber há vários meses e as atividades estão completamente comprometidas, se tornaram mais comuns se não barrarmos o golpe e as reformas.

Todas as universidades devem seguir o exemplo da UNEB e deliberar greve contra o golpe e contra as reformas.

artigo Anterior

Ditadura contra os servidores públicos na “República de Curitiba”

Próximo artigo

Ler a “História da Revolução Russa”, de Leon Trótski

Leia mais

Deixe uma resposta