Estudante agredido pela PM passa por nova cirurgia

Compartilhar:

O estudante Mateus Ferreira da Silva de 33 anos, que foi agredido por um policial durante a manifestação em Goiânia, da Greve Geral, no dia 28 de abril, passou por uma nova cirurgia, a segunda desde que ocorreu a agressão.

Mateus foi agredido de uma forma tão violenta que o cassetete do PM chegou a quebrar. O policial que o agrediu foi afastado das ruas e trabalha apenas na parte administrativa da polícia.

A brutal agressão sofrida pelo estudante em uma manifestação contra o golpe mostra o verdadeiro caráter da PM, e como ela trata os manifestantes em manifestações de esquerda, porque quando era da direita chegava até tirar foto junto com os “manifestantes”.

Nada justifica a brutalidade da polícia. Mateus não representava nenhum risco para tamanha agressão. Mas Mateus não é único que sofre com essa brutalidade, os negros, os jovens que são mortos aos milhares pela PM, também não há nenhuma justificativa para tanta violência.

A única solução para o fim da violência da PM é o fim dessa organização assassina por meio de uma ampla mobilização popular.

artigo Anterior

Negros estão há uma década de atraso na qualidade de vida em relação aos brancos

Próximo artigo

Trabalhador não faz coro com a direita golpista!

Leia mais

Deixe uma resposta