Argentinos demonstram apoio à luta contra o golpe no Brasil

Compartilhar:

Recentemente, uma ex-embaixadora da Argentina em Cuba, Juliana Marino, lançou uma nota em apoio a lideranças de esquerda que estão sendo perseguidos pela ofensiva golpista em marcha no Brasil. Isto demonstra o início de uma adesão internacional à campanha contra o golpe no Brasil, uma vez que a argentina Milagro Sala, ativista social da organização Tupac Amaru, ligada à luta pelos direitos indígenas e setores carentes da população, presa pela ditadura Macrista, também lançou uma nota da mesma espécie. O apoio de setores da população argentina não é mera coincidência; lá, a população também está sofrendo com a ofensiva da direita, que desenvolve uma polítca neoliberal e repressiva contra o povo trabalhador.

Veja aqui a integra das notas.

JULIANA MARINO, EX – EMBAIXADORA ARGENTINA EM CUBA: “Solidariedade e apoio a Lula e Rui Costa Pimenta”

“Irmãos do Brasil:
Esperemos que os nossos apoios da Argentina ajudem a visualizar e parar a perseguição política contra o ex-presidente Lula e ativistas sociais, cada vez mais reconhecidos pelo povo brasileiro como a única maneira de recuperar o caminho da libertação, justiça e soberania, interrompido pelo corrupto e vergonhoso golpe institucional de Temer. Nossa solidariedade e apoio a Rui Costa Pimenta, Presidente do Partido da Causa Operária, e a mobilização de 10 de maio em Curitiba e a integração dos povos da América Latina e do Caribe.

Juliana Marino
Deputada Nacional (mandato concluído)
Ex-embaixadora da Argentina em Cuba”

MILAGRO SALA: “Minha solidariedade a Lula, Rui, os indígenas, as mulheres e todo o povo do Brasil”

“Irmãos do povo brasileiro:
Enquanto escrevo estas linhas, vocês estão protagonizando uma histórica greve geral contra os golpistas de seu país. Nós, na Argentina, chegamos a protagonizar uma enorme paralisação nacional, no dia 6 de abril, contra o governo de Macri. Sua luta é nossa luta, e tenho plena confiança de que vamos triunfar no Brasil, na Argentina, na Venezuela e em toda a América Latina contra o golpismo.
Solidarizo-me com o companheiro Lula, que está sendo perseguido pelo juiz golpista Moro. Aqui, o Moro argentino, chamado Bonadío, está fazendo o mesmo com nossa companheira Cristina[Kirchner, ex-presidenta do país]. Solidarizo-me com o companheiro Rui Costa Pimenta, do PCO, que está sendo perseguido por convocar a marcha contra a prisão de Lula. Buscam fazer com vocês o mesmo que fizeram comigo, que estou presa há mais de 1 ano e 3 meses pelo governo provincial de Gerardo Morales e o governo nacional de Mauricio Macri. Macri e Temer têm anulado a democracia em nossos países.
Solidarizo-me também com os povos indígenas do Brasil, que acabaram de ser reprimidos pela Polícia Militar em Brasília por reivindicar a posse de suas terras. Me solidarizo com a companheira Dilma e todas as mulheres do Brasil, que sofrem com o regime misógino e golpista que se impulsionou a partir da destituição da presidenta eleita pela maioria dos brasileiros. Solidarizo-me com todo o povo do Brasil, que hoje está de greve e que em 10 de maio vão marchar em Curitiba contra a prisão de Lula.
Hoje começa em Buenos Aires o Foro pela Liberdade e a Democracia. Estou segura que ali se multiplicarão as vozes de solidariedade com o povo brasileiro. Tenho plena confiança de que triunfaremos. Tenho plena confiança de que as companheiras e os companheiros do Tupac seremos libertados, que Lula e Rui não serão presos e que terminaremos com o golpismo e a perseguição unindo todos os povos da América Latina. Até a vitória, sempre!
Milagro Sala
desde el Penal de Alto Comedero, Jujuy
28 de abril de 2017”

artigo Anterior

Frase inolvidável

Próximo artigo

Em premiação em Nova Iorque, Doria é saudado como possível candidato a presidência

Leia mais

Deixe uma resposta