Governo golpista do Brasil disse estar preparado para dar apoio aos golpistas na Venezuela

Compartilhar:

Após encontro com Antonieta López e Lilian Tintori, mãe e esposa de Leopoldo López, um dos principais líderes da direita venezuelana e fundador do Partido Voluntad Popular (PVP), o golpista Michel Temer afirmou em nota que o governo golpista do Brasil “está pronto para dar ajuda humanitária à Venezuela”. É um cinismo golpista sem igual.

Cabe lembrar que em 2014 López liderou uma campanha de protestos violentos que causariam a morte de 43 pessoas. O objetivo era desestabilizar o País e assim chegar à derrubada do governo de Nicolás Maduro. A direita venezuelana tem um longo histórico de tentativas violentas de tomar o poder. Em 2002, uma tentativa fracassada de golpe chegou a tirar Hugo Chávez do poder durante 47 horas. Em 2015, um complô golpista foi desmontado, os golpistas pretendiam bombardear o Palácio de Miraflores, sede do governo.

Lopes foi condenado à 13 anos de prisão em fevereiro deste ano depois de várias tentativas de derrubada do governo de Maduro, o que deixará López sem poder conspirar contra seu país em benefício do imperialismo.

Cinicamente, o golpista Brasileiro (Temer) disse “estar do lado do povo Venezuelano” e “apoiar a democracia e os direitos humanos”, o que é uma falácia que só poderia sair de um governo golpista. Deram um golpe no Brasil com apoio e financiamento do imperialismo norte-americano, estão destruindo o país e querem dizer que na Venezuela há um golpe. Se há um golpe em andamento na Venezuela é o golpe orquestrado pela direita golpista em conluio com o imperialismo e a imprensa burguesa.

Como dissemos em outras matérias, os golpistas Venezuelanos não conseguiram dar o golpe em Maduro e foram colocados contra a parede. Como denunciado pelos chavistas, a direita pede uma intervenção militar estrangeira no País, e ainda, mobiliza os governos que sofreram golpes. Governos como Brasil, Argentina, Honduras e outros que tinham governos nacionalistas hoje são a ponta de lança na pressão à República Bolivariana da Venezuela.

artigo Anterior

Palocci cede a chantagem do “Mussolini de Maringá”

Próximo artigo

Lido nas redes

Leia mais

Deixe uma resposta