Judiciário quer multar manifestantes, serão mais de 100 mil multas…

Compartilhar:

A direita golpista não tem apoio popular, não tem votos, não ganha eleição. O único apoio que ela possui é do próprio estado burguês, através, especialmente, do Poder Judiciário, mas também da polícia e demais órgãos de repressão.

Por isso, diante da manifestação deste dia 10 em Curitiba, onde caravanas de todo o Brasil seguem para a cidade no intuito de protestar contra a ditadura de Sérgio Moro, a direita acionou o judiciário para impedir que o povo proteste na cidade, como se as ruas fossem propriedade alguém.

Se, por um lado, Mussolini de Maringá (Sérgio Moro) foi implorar para que nenhum coxinha fosse para Curitiba, com receio de apanhar do movimento contra o golpe, por outro lado, a prefeitura da cidade conseguiu uma decisão no mínimo esdrúxula da juíza Diele Denardin Zydek.

É uma decisão que pretende proibir de circulação pedestres e veículos no entorno da Justiça Federal de Curitiba, um toque de recolher. Proíbe, ainda, a montagem de estruturas e acampamentos nas ruas e praças da cidade. A pena para quem descumprir essa decisão é de uma multa diária de R$ 50 mil.

Se o propósito de todo movimento contra o golpe, neste ato de Curitiba, é protestar contra a ditadura da operação Lava Jato e de Sérgio Moro, agora o movimento ganhou mais um motivo para protestar, novamente, contra o judiciário.

É preciso ter claro que toda a movimentação em torno de Curitiba tem o objetivo de impedir que os desmandos de Sérgio Moro se concretizem. Se não é para prender Lula, também não é para permitir que o ex-presidente da República sente no banco dos réus diante de Moro. Sem provas, sem crimes, sem nada que fundamente essa medida arbitrária.

Dessa forma, a depender da quantidade de pessoas que seguem para Curitiba, a decisão de proibir o direito de manifestação e de ir e vir do povo também precisa ser duramente atacada. O direito de uma maioria esmagadora (a população contra o golpe) não pode ser trucidado por uma canetada de uma juíza. Não existe a menor razão para mais essa decisão ser obedecida.

As ruas são do povo, todos a Curitiba!

artigo Anterior

Portos: governo golpista facilita regras para os capitalistas

Próximo artigo

Latifundiários usam CPI da Funai para perseguir lideranças indígenas

Leia mais

Deixe uma resposta