Golpe faz produção industrial recuar 1,8% em março, segundo IBGE

Compartilhar:

O golpe de Estado infligido no país está conseguindo, até o momento, seu objetivo de desmantelar a indústria nacional, acabando com a economia, centralizando ainda mais renda nas mãos da burguesia financeira atrelada ao imperialismo.  A política implantada com o golpe no país é de ”terra arrasada” acabando com toda autonomia econômica brasileira, privatizando as reservas naturais, as empresas estatais e os setores estratégicos, entregando tudo para as grandes corporações estrangeiras.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou que a produção industrial brasileira recuou 1,8% no mês de março em relação ao mês anterior e em relação ao mesmo mês do ano passado a produção teve aumento de 1,1%; está claro que os institutos nacionais estão tentando fazer uma propagando de que a situação econômica está se recuperando e que as medidas aplicadas estão dando resultado de uma estruturação necessária para um futuro de crescimento para o PIB.

A Economia brasileira teve seu pico máximo em 2011 com 2,616 trilhões. Desde ai os golpistas começaram uma campanha de duros ataques contra o ex-governo causando um declínio econõmico e o embargo das exportações de nacionais. Depois, com a retirada da presidenta Dilma, implantaram medidas e austeridades aos setores econômicos e benefícios populares.

A indústria nacional ficou impedida de competir com as indústrias internacionais. Ela precisa de incentivos estatais e subsídios para poder concorrer. O que o governo golpista fez foi retirar esse amparo estatal dos setores industriais nacionais, diminuindo, por outro lado, o poder de consumo da população, causando assim e recessão da produção industrial.

Os setores industriais em que a indústria nacional ainda consegue competir, estão sofrendo uma forte campanha de boicote, destruição e de embargo e prisões arbitrárias de seus dirigentes. A intenção das potências extrangeiras do imperialismo é fazer com que o Brasil continue sendo, no máximo, produtor de matérias primas, como um país atrasado e explorado como sempre foi pelo imperialismo.

artigo Anterior

Pela total e irrestrita liberdade aos imigrantes

Próximo artigo

Por uma nova greve geral, desta vez por dois dias

Leia mais

Deixe uma resposta