Dia 3, STF procura armar contra governador petista

Compartilhar:

Com o golpe, as “regras” vigentes no País vão se alterando “durante o jogo” e de acordo com o interesses dos juízes golpistas que está dando as cartas e os interesses do grande capital imperialista por detrás do golpe. Um verdadeiro estado de exceção, onde as leis vão se adequando de acordo com a decisão previamente tomada de condenar o réu. Se preciso for até o que era permitido vira proibido (e vice versa) e se retrocede o quanto for necessário para prender os escolhidos.

E pelo que observamos o PT parece ser o preferido, caso mais recente é o do governado de Minas, Fernando Pimentel do PT, que ao ser eleito, quebrou uma sequência de governos tucanos naquele Estado, que estavam ligados a inúmeras denúncias.

As denúncias contra o então governador, que possui foro privilegiado, tem que passar por todo um ritual já pré-estabelecido em lei, porém o DEM, parceiro do golpe, pede que o STF, quebre todo o protocolo e permita o julgamento imediato do mesmo.

A ministra Cármen Lúcia já marcou para o dia 3 de maio o julgamento do pedido do DEM, no mesmo dia do depoimento do Lula ao juiz Moro em Curitiba, muita coincidência num mundo de milhares de processos que tramitam no judiciário.

Podemos verificar que o suposto “combate à corrupção” tão propagado pela imprensa golpista, na verdade é um combate a todos aqueles que representarem qualquer resistência ao golpe, mesmo que de forma mínima, enquanto isso os processos contra Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmim e muitos outros golpistas vão sendo “empilhados” e “sumindo de cena” ] até o dia da prescrição.

 

artigo Anterior

Bancários DF: organizar a greve geral e caravanas para ocupar Curitiba contra a prisão de Lula e o golpe

Próximo artigo

Golpistas querem extinguir propaganda eleitoral no rádio e na TV

Leia mais

Deixe uma resposta