Turquia prolonga estado de emergência

Compartilhar:

Nesta segunda-feira (17), um dia depois da vitória do governo no referendo que muda o regime político turco com a adoção do presidencialismo, o governo anunciou que prolongará o estado de emergência vigente. Depois da tentativa fracassada de golpe em julho do ano passado, o governo promoveu um grande expurgo no exército e no funcionalismo público. Uma reação do nacionalismo burguês contra a infiltração de agentes do imperialismo no estado, algo que foi visto em outros países do mundo, como no golpe da Ucrânia ou no próprio Brasil.

A reação ao golpe da parte de Recep Erdogan e seus apoiadores levou a uma maior concentração do poder do estado nas mãos do nacionalismo burguês. É nesse quadro que o estado de emergência agora é prolongado, para continuar a repressão contra pessoas ligadas aos golpistas e ao imperialismo.

A votação no referendo a favor do governo e a participação da população na luta contra o golpe, um golpe derrotado pelos trabalhadores na rua, mostram a rejeição dos trabalhadores ao imperialismo e o reconhecimento do perigo de suas manobras. Nessa situação, o nacionalismo burguês aproveita para ampliar seus poderes. As medidas de Erdogan podem ser uma ação contra o imperialismo, mas nada o impede, de num momento em que seja necessário atacar as massas, usar dessas mesmas medidas. 

As ações de Erdogan são muito diferentes, por exemplo, das medidas do governo da Venezuela para derrotar o golpe. Nicolás Maduro está armando a população, com a ampliação das milícias populares. Uma medida democrática que concretamente dá mais poder ao povo diante do estado. Devidamente armada, a população está pronta para agir de forma autônoma e independente na defesa de seus próprios interesses.

artigo Anterior

O novo truque do “Mussolini de Maringá”: 87 oitivas

Próximo artigo

PCO lançará campanha financeira nacional de 2017 em maio

Leia mais

Deixe uma resposta