MRT ataca PSOL mas ainda quer a legenda

Compartilhar:

O chamado Movimento Revolucionário dos Trabalhadores (MRT), antiga Liga Estratégia Revolucionária (LER), publicou em seu portal na internet uma matéria criticando a explicação de Luciana Genro sobre a citação de seu nome em uma delação da Odebrecht. A matéria chama-se “Luciana Genro e Emancipa Juntos com a Odebrecht. É assim o combate ao capitalismo?”

Ao tentar explicar que não é corrupta, Genro admite ter recebido dinheiro da empreiteira por seis anos seguidos, através do cursinho popular que ela mesmo criou, o “Emancipa”. A ex-candidata a presidente pelo PSOL e líder da corrente interna do partido, o Movimento Esquerda Socialista (MES), apenas confirma algo que todos já sabiam: o MES/PSOL é financiado pelos capitalistas. Agora revelou-se o financiamento da Odebrecht, mas doações eleitorais da Gerdau e do grupo Zafari de supermercados já eram públicas.

O MRT, em seu artigo, critica Luciana Genro como alguém que descobre com surpresa estar sendo traído. Como se não só Luciana Genro, mas boa parte do PSOL não tivessem uma posição direitista sobre vários problemas políticos, como a defesa da Lava Jato ou a defesa do golpe de Estado.

O MRT está surpreso com a posição de Genro como se a líder do PSOL fosse uma “socialista revolucionária” que simplesmente estivesse traindo seus ideais.

Mas Luciana Genro não é e nunca foi socialista, nem revolucionária. Genro é apenas uma versão mais pequeno-burguesa da política que o próprio MRT critica no PT. O PT é um oportunista que chegou ao poder, Luciana é uma oportunista que, por não ter 1% da base do PT, vive para parasitar as migalhas que sobram da política burguesa.

E o MRT? Estes querem entrar no mesmo PSOL de Luciana Genro que agora criticam. “MRT no PSOL” é campanha oficial do grupo, que cerca de dois anos atrás mudou de nome para tentar adentrar na legenda psolista.

O PSOL, como é sabido, está tentando se aproveitar do ataque da burguesia ao PT para conseguir uma fatia do seu voto, O MRT, que tentou entrar no PSOL para se aproveitar da legenda, afinal não há movimento de massas no PSOL, agora ataca o PSOL para tentar roubar uma fatia da “ampla” base do MES. Acusam enquanto querem fazer parte do mesmo esquema, ou seja, o MRT quer ser o MES que quer virar o PT.

artigo Anterior

Imprensa golpista teme ocupação de Curitiba contra a prisão de Lula

Próximo artigo

Atividades lembram os 21 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás

Leia mais

Deixe uma resposta