Em 14 dias, Lula enfrenta Moro e Caravanas estão sendo organizadas para defende-lo

Compartilhar:

Moro convocou Lula para depor em Curitiba no dia 3 de maio. A intensa propaganda dos órgãos da imprensa golpista e a delação de Odrebrecht indicam um claro objetivo, prender Lula.

O País está sendo tomado pela polarização política. O Partido da Causa Operária, a Frente Brasil Popular e outras organizações operárias já declaram que estão organizando caravanas para construir um grande ato em defesa de Lula.

A palavra de ordem de não à prisão de Lula é, agora, o que foi a palavra de ordem de “Não vai ter Golpe”, um eixo de unificação de todos aqueles que são contra o golpe. Os golpistas têm muito interesse em prender Lula e tratam de atacar ferozmente toda a oposição aos seus planos.

O presidente nacional do PCO, Rui Costa Pimenta, numa Análise Política da Semana, descreveu a essência do movimento que se forma, “Lula tem que ter em Curitiba 50, 60, 100 mil guarda-costas, a palavra de ordem tem de ser: ‘Não vai Prender'”. Por essa declaração, que já alcançou pessoas na casa do milhão, ele foi alvo de representação no Ministério Público e Polícia Federal, numa clara tentativa de calar um dos partidos que mais impulsiona a resposta ao juiz Sérgio Moro, detentor da alcunha de Mussolini de Maringá.

A luta contra a prisão de Lula se prepara para seu capítulo mais importante até agora. Em Curitiba estará presente o movimento operário em peso, a direita coxinha chamou um ato para o mesmo dia no núcleo policial do golpe, Sérgio Moro e um dos setores mais raivosos da direita nacional, o governo do Estado.

Se Lula for preso, esse será o começo de uma onda de ataques contra o movimento operário. Mas se o movimento contra o golpe for vitorioso e conseguir mostrar que a operação golpista não pode prender a oposição aos golpistas sem uma resposta, esse capítulo pode ser o começo de uma virada contra os golpistas.

Como Karl Marx disse “Os filósofos têm apenas interpretado o mundo de maneiras diferentes; a questão, porém, é transformá-lo.”. Essa é a análise da situação, é hora de influir nesse embate, ocupar Curitiba e impor um limite aos ataques da Lava Jato, leitor, inscreva-se nas caravanas, venha para Curitiba no dia 3.

Eu vou para Curitiba contra a prisão de Lula!

 

artigo Anterior

Dória contra a Cultura

Próximo artigo

Contra o golpe, Maduro reforça milícias populares na Venezuela

Leia mais

Deixe uma resposta