Delações mostraram como funciona o sistema eleitoral burguês

Compartilhar:

As delações da Odebrecht, que estão vindo à tona com força com os vazamentos da lista de políticos citados, revelaram uma coisa muito importante sobre o funcionamento do sistema eleitoral e partidário brasileiro.

Marcelo Odebrecht, em uma das delações, afirmou que não há partido político que participe das eleições sem que haja caixa 2 envolvido. Somos obrigados a concordar. As eleições burguesas foram feitas para que os grandes partidos, apoiados pela burguesia, sejam vitoriosos. Apenas para começar a disputa, são necessários milhões de reais, depende do cargo que se almeja. Um partido operário como o PCO, por exemplo, que depende exclusivamente dos recursos de seus apoiadores, não tem a menor chance de disputar uma eleição de igual para igual. Apenas sob esse aspecto, sem contar outros relevantes, é possível notar que o sistema eleitoral é uma aberração antidemocrática.

Sem o apoio dos grandes capitalistas, partidos e candidatos não conseguem nem pensar em se eleger. Nesse sentido, fica claro o cinismo da direita golpista que faz a campanha contra a corrupção quando na realidade o próprio sistema eleitoral é conduzido para que o poder econômico domine o governo.

Só um ingênuo ou um mal intencionado, como é o caso da direita golpista, poderia afirmar que os capitalistas vão despejar milhões nas mãos de políticos para não receber nada em troca. Marx explicava que o Estado capitalista é o “comitê de negócios” da burguesia, ou seja, o Estado e todas as suas instituições servem como um organizador dos negócios dos capitalistas e é gerido por eles ou por contratados deles, que são os políticos burgueses.

As eleições, que também são controladas pelos capitalistas, não são verdadeiramente democráticas, mas são apenas uma forma que pode ser modificada pela burguesia se está notar que está saindo de controle. É o que está acontecendo no Brasil com o golpe. As revelações sobre Odebrecht servem para ocultar que setores mais poderosos da burguesia, os capitalistas internacionais, estão lutando pelo controle do Estado.

O sistema eleitoral é um grande balcão de negócios no qual a burguesia compra e os políticos burgueses se vendem. É isso e nada mais. A imprensa capitalista, que tanto escândalo promove com as delações, é uma das principais participantes desse jogo de compra e venda, contra os interesses do povo.

artigo Anterior

PSOL na lista de Fachin: a Lava Jato tem que ir até o fim?

Próximo artigo

Vox Populi : Aprovação de Temer tende a zero

Leia mais

Deixe uma resposta