Dória e Alckmin impõem reajustes exorbitantes ao transporte público

Compartilhar:

O sistema público de transporte da cidade de São Paulo é caótica e muito caro, entretanto houve uma pequena e relativa melhora no governo Haddad, com a implantação de uma série de subsídios aos mais pobres e a criação de passagens com maior duração de integração. Após os golpistas terem dado o golpe e conquistado a prefeitura da cidade mais importante do país, todas essas pequenas melhorias foram extintas.

Nesse sábado, haverá o fim da gratuidade das integrações e aumento daquelas que já era necessário pagar. Os reajustes não se limitam à integração, todo o sistema de transporte recebeu reajustes exorbitantes, sendo o maior de 35% para o Bilhete Único Mensal. Enquanto isso, a integração teve aumento de 14,8% e haverá cobrança de um real para aquelas que eram gratuitas.

A mudança afetará aproximadamente 23 milhões de pessoas em São Paulo e nas cidades vizinhas, sendo um grande impacto para a população. O Partido dos Trabalhadores anunciou que busca barrar os aumentos através de uma medida na Assembleia Legislativa de São Paulo. Trata-se de um caminho de derrotas uma vez que a ALESP está dominada pela direita tucana e golpista.

Assim como no caso da luta contra as “reformas” do governo de Michel Temer, a vitória popular contra o aumento das passagens só pode advir com muita luta e mobilização popular que conquiste a derrota do golpe de estado. É necessário organizar a população para lutar contra mais este ataque, unificando esta luta com a luta por derrubar o governo golpista e anular o impeachment.

artigo Anterior

Parar o metrô contra o golpe e a terceirização das catracas

Próximo artigo

Processado por falar: presidente do PCO sofre representação por denúncias feitas em palestras

Leia mais

Deixe uma resposta