Armar o partido para lutar: a campanha financeira do PCO em 2017

Compartilhar:

Na sua próxima Conferência Nacional, de 14 a 16 de abril, nosso Partido vai lançar a sua Campanha Financeira Anual de 2017.

Trata-se de uma campanha da maior importância na atual conjuntura política do País.

Nossa luta contra o golpe de Estado

O golpe de Estado que derrubou o governo Dilma Rousseff ameaça a classe operária e todo o povo pobre e trabalhador com profundos ataques à suas condições de vida e seus direitos democráticos mais elementares. Está se insinuando sobre o País uma verdadeira ditadura e, diante disso, é preciso concentrar esforços na campanha pela derrubada do governo golpista e pelo restabelecimento do governo eleito pelo povo.

A luta contra o golpe, vigente desde que a direita golpista levantou a cabeça em 2012, precisa ser levada a cabo da maneira mais conscienciosa possível. Nenhum outro partido tem tanta consciência disso quanto o nosso. Nenhum outro partido se esforçou tanto nos últimos anos para colocar em movimento essa campanha e mobilizar não só sua própria militância, mas também a dos sindicatos, da CUT e dos demais partidos de esquerda e organizações populares.

Quase dois anos atrás, em maio de 2015, quando nos dirigimos à militância do Partido por ocasião da Campanha Financeira daquele ano, dizíamos:

“Neste momento, nossa campanha adquire um relevo maior, uma vez que estamos realizando uma luta contra o golpe de Estado planejado pela direita e pelo imperialismo, seja na forma de impeachment, seja de outras formas, que esta? em marcha no Pai?s, como somente nosso partido vem denunciando, desde as primeiras movimentac?o?es da direita golpista.

“Trata-se de uma campanha central, em defesa dos direitos democra?ticos do povo brasileiro, bem como a favor das reivindicac?o?es centrais dos trabalhadores diante do enorme avanc?o da crise capitalista, uma vez que – como vimos denunciando – a direita golpista quer derrubar o governo capitulador e de colaborac?a?o de classes do PT para colocar em seu lugar um governo lacaio do imperialismo que avance ainda mais contra as condic?o?es de vida dos explorados para satisfazer os interesses dos tubaro?es capitalistas e que imponha um regime de ataque muito mais duro contra as liberdades democra?ticas.

“Para um partido revoluciona?rio e socialista como o nosso essa e?, sem du?vida, uma campanha de suma importa?ncia, que serve para armar a classe opera?ria e demais explorados na?o so? para reagir a? ofensiva da direita, como tambe?m fazer avanc?ar sua conscie?ncia da necessidade de superar a poli?tica conciliadora do PT e de toda a esquerda pequeno-burguesa, incluindo os setores que hoje adotam uma poli?tica de aparente “neutralidade”, como o PSOL e o PSTU ou diretamente de alianc?a com a direita golpista, em aberta traic?a?o a? causa dos trabalhadores”.

Essas palavras permanecem vigentes hoje. Só foram superadas pelos acontecimentos na medida em que os desdobramentos da situação política preencheram algumas lacunas e confirmaram os prognósticos decorrentes da análise feita por nosso partido. Isso, por si só, é uma grande realização do nosso Partido. Estaríamos, porém, reduzidos a mais completa indigência política se fôssemos capazes apenas de tirar as conclusões corretas, mas permanecêssemos completamente paralisados diante dos importantíssimos acontecimentos do último período.

Nosso Partido obteve um grande êxito na sua luta contra o golpe até agora. Por meio de um intenso trabalho de agitação e propaganda, alcançamos a maior audiência de nossa história, em um trabalho regular e que traduz o crescimento da influência política da imprensa partidária e do partido de conjunto. Vejamos alguns dados.

A única prestação de contas que importa: do Partido ao conjunto da militância

 

Nesses quase dois anos, nosso semanário impresso, Causa Operária, teve 101 edições publicadas todas as semanas, vendidos em todas as manifestações de rua contra o golpe e nas fábricas, universidades, bairros e locais de grande concentração, alcançando milhares de pessoas a cada edição. É a consolidação de uma conquista do período anterior quando, em 2007, regularizamos a publicação semanal de Causa Operária. Desde que o jornal passou a ser vendido a R$1,00 (em S. Paulo, e R$2,00 no restante do País, em março de 2016), as vendas triplicaram (em relação a 2015) e continuam crescendo. Estamos trabalhando para, no próximo período, chegar à venda de 10.000 exemplares do jornal Causa Operária todas as semanas.

O Diário Causa Operária Online, nosso jornal diário na Internet publicado há 13 anos (desde outubro de 2003), recebeu mais de três milhões de acessos desde 2015.

Análise Política da Semana, apresentada todos os sábados pelo companheiro Rui Costa Pimenta, e transmitida ao vivo pela internet, já conta com mais de 10.000 visualizações todas as semanas.

Nesse mesmo período (i.e.: desde a referida campanha financeira lançada em maio de 2015), publicamos 43 edições do Suplemento Gratuito do jornal Causa Operária, nosso panfleto partidário nacional, que alcançou a marca de 3,4 milhões de exemplares distribuídos nas principais capitais e cidades do interior de todo o País!

Além disso, nesse período de intensa luta contra o golpe, produzimos dezenas de milhares de cartazes e adesivos, para não falar da intervenção direta de seus militantes em inúmeras assembleias, reuniões, atos públicos, congressos sindicais e atividades diversas.

Assim, como em 2015, um ano antes do impeachment, agora é ainda mais necessário publicar milho?es de panfletos, cartazes, cartilhas, folhetos, adesivos, bo?tons e camisetas tendo como eixo a luta contra o golpe e em defesa das reivindicac?o?es dos trabalhadores. É preciso aumentar a tiragem e a influência das publicações impressas do Partido, bem como dispor dos recursos necessários para que seu jornal na Internet (e tudo a ele relacionado) cresçam e alcancem uma audiência ainda maior.

A Campanha Financeira do PCO em 2017

 

Para realizar suas atividades e campanhas, manter uma imprensa independente dos grandes monopo?lios da comunicac?a?o e da burguesia, manter sedes e va?rias outras coisas, o Partido da Causa Operária depende, basicamente,  da contribuic?a?o daqueles que compreendem a importa?ncia deste trabalho para toda a classe trabalhadora brasileira e para o povo em geral.

Temos que continuar a desenvolver e aprofundar a atividade partidária nessa campanha política da maior importância – a luta contra o golpe –  e, para isso, é necessário armar o partido, isto é, criar e manter as condições para que ele seja capaz de conduzir sua luta o mais amplamente possível.

Com isso, esperamos não só ampliar a mobilização nacional contra o golpe de Estado, como também fortalecer a conscie?ncia de uma parcela crescente da classe trabalhadora da necessidade do partido opera?rio, da revoluc?a?o e do governo opera?rio para estabelecer um novo regime, no qual a burguesia seja expropriada para atender a?s reivindicac?o?es e necessidades de toda a classe trabalhadora, ou seja, o socialismo, regime de igualdade e de liberdade para todo o povo.

Por isso, nosso Partido dirige um chamado à sua militância e ao conjunto dos seus simpatizantes, em primeiro lugar, a não apenas contribuir com a Campanha Financeira desse ano, mas a participar ativamente da campanha, obtendo a colaboração de outros companheiros e ampliando seu alcance.

Venha participar da Campanha Financeira do PCO, o Partido da luta contra o golpe. 

artigo Anterior

Artistas contra o golpe: Wagner Moura rebate as críticas do governo golpista

Próximo artigo

Metrô paulista não tem falhas, tem tentativa de assassinato para ser privatizado

Leia mais

Deixe uma resposta