Multidão recebe Lula e Dilma e inaugura transposição São Francisco com ato contra golpistas

Compartilhar:

Neste domingo (19) foi realizada em Monteiro, no Cariri paraibano, uma gigantesca festa pela inauguração da transposição do Rio São Francisco. Essa foi uma das grandes obras prometidas pelos governos petistas para o sertão brasileiro, região seca, historicamente esquecida, abandonada e que foi muito beneficiada por esses governos. O evento foi chamado de “Inauguração Popular da Transposição do São Francisco” feita pelos ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela presidenta Dilma Rousseff.

A inauguração feita pelo governo golpista desse trecho da transposição foi feita pelo presidente usurpadores no dia 10 de março, quando centras de pessoas o receberam com gritos de “fora Temer”.

O eixo leste tem como objetivo levar água a cerca de 12 milhões de pessoas que vivem no sertão de quatro estados – Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O projeto se estende por 477 km e é dividido nos eixos leste, com 217 km, e norte, com 260 km. A expectativa é que o eixo leste beneficie 4,5 milhões de pessoas em 168 municípios da Paraíba e de Pernambuco.

Os golpistas usurpadores após a inauguração apenas com a presença da imprensa e as poucas pessoas se manifestando contra eles, tentaram fazer a propaganda de que seriam responsáveis pela obra.

Moreira Franco, ministro da Secretaria-Geral da Presidência, publicou na rede social: “em 6 anos, Dilma não conseguiu entregar as obras, de transposição do rio São Francisco. Nós entregamos em seis meses”.

A resposta aos golpistas foi a festa realizada para Lula e Dilma em Monteiro. Milhares de pessoas se juntaram para a Inauguração Popular. Na festa, os vampiros oficiais foram rejeitados, mas outros apareceram.

Dilma discursou e disse que “assim como vieram aqui e contaram mentiras da transposição, eles contarão mentiras para que não tenhamos eleições livres, abertas, amplas. Impedirão? Não! O povo desse país não suporta um segundo golpe. Esse segundo golpe é impedir que os candidatos populares sejam colocados à disposição do povo. O Lula é um desses. Vamos nos encontrar com a democracia. É o único jeito da gente lavar a alma do povo”.

Os ex-presidentes chegaram com uma comitiva, composta pelo governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), pelos os governadores da Bahia, Rui Costa (PT); do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB); do Ceará, Camilo Santana (PT); e do Piauí, José Wellington Barroso (PT); pelos senadores Lindbergh Farias (PT), Gleisi Hoffmann (PT) e Humberto Costa; pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e por deputados, prefeitos e vereadores de cidades da Paraíba e Pernambuco, saiu de Campina Grande pela BR-230 até a cidade de Monteiro. Não faltaram os “amigos da onça”, como Ciro Gomes (PDT), que criticou a possível candidatura de Lula e propôs que Lula pedisse refugio em uma embaixada no exterior, diante da ameaça de prisão, se opondo à mobilização popular que está se levantando contra o golpe.

A confusão em torno das eleições e de quem são os aliados permanece. Mas uma coisa é certa, o tamanho da  manifestação deixa Lula ainda mais em evidência, como alvo dos golpistas e do juiz da República do Paraná, Sergio Moro.

É preciso repetir o que foi feito no dia 15 e na Paraíba e lotar Curitiba para o depoimento de Lula no dia 3 de maio. Caravanas de todo o país devem lotar o Paraná para mostrar a resistência ao golpe e dar sequência à mobilização que se levantou no último dia 15.

artigo Anterior

Um pouco de como ficarão os trabalhadores se a lei da terceirização for aprovada

Próximo artigo

Tucano e boçal, Alexandre de Moraes assume cadeira no STF para defender golpistas

Leia mais

Deixe uma resposta