A Previdência não é um agrado dos capitalistas

Compartilhar:

Muitos argumentos são usados pela burguesia para justificar os ataques à Previdência. Na TV e nos jornais, os representantes da direita golpista despejam todos os dias suas lamentações, afirmando que o Estado não tem dinheiro para pagar a aposentadoria.

A principal ideia, que está por trás da campanha e que aparece nos jornais golpistas e nos discursos do governo, é a de que a aposentadoria estatal seria um bondoso presente dado pela burguesia aos trabalhadores. Essa ideia é usado para todos os direitos conquistados no chamado Estado de bem estar social. Tudo seria um agrado dos patrões aos trabalhadores. Nada mais falso do que essa ideia.

Para entender isso é preciso entender de onde surgiu a aposentadoria pública. A Previdência estatal surgiu do fato de que os sindicatos dos trabalhadores, numa determinada época, começaram a constituir uma caixa de auxílio mútuo para pessoas que se acidentavam, para viúvas e para os mais velhos poderem se aposentar. Os trabalhadores organizados contribuíam pouco a pouco para juntar os fundos para conseguissem se aposentar. Ou seja, a aposentadoria nasceu de uma iniciativa da própria classe operária.

A classe operária entendeu a necessidade de organizar essa caixa de assistência justamente porque até o início do século XX, o trabalhador era obrigado a trabalhar até morrer. Não existia aposentadoria. Portanto, não foi a burguesia que inventou a previdência, se dependesse dos patrões, ela sequer existiria.

Conforme a situação foi se desenvolvendo e a organização das caixas de assistência se tornou cada vez mais sólida, a burguesia viu nas aposentadoria uma oportunidade. Em um dado momento, ela aprendeu que controlando a aposentadoria, ela poderia controlar melhor o trabalhador. Aprendeu também que uma aposentadoria pública não dá prejuízo, pois o trabalhador paga e permite que se crie um meio de contenção social, podendo distribuir o dinheiro da maneira como lhe convir. Por último a mais importante, a burguesia notou que os gigantescos fundos da aposentadoria pública poderiam ser utilizados pela burguesia para investimentos capitalistas, ou seja, poderiam ser usados como um banco, recolhendo depósitos e investimentos e reinvestindo o dinheiro para ganhar em juros. Em suma, o dinheiro dos trabalhadores foi usado pelos capitalistas para a farra especulativa, foi isso o que aconteceu em todos os lugares.

Por isso, quando o governo golpista diz que não consegue sustentar o trabalhador, é um golpe, o roubo do século. Não são os trabalhadores que devem arcar com o suposto “prejuízo”, que de fato nã existe. É a burguesia que deve explicar onde está o dinheiro dos trabalhadores.

A responsabilidade é do Estado, o direito à Previdência é liquido e certo, o trabalhador contribuiu durante toda a vida, o dinheiro é do trabalhador.

 

 

artigo Anterior

“Sorteio Mega-Temer”, por Jota Camelo

Próximo artigo

Assim como os coxinhas, PSTU leva Pixuleco para as ruas

Leia mais

Deixe uma resposta