#OscarsSoBlack? Não! Uma festa de brancos!

Compartilhar:

A lista de indicados ao Oscar já saiu há algumas semanas, mas a premiação ainda não aconteceu, somente no próximo dia 26 de fevereiro. Vale aqui destacar como o principal prêmio de cinema do mercado mundial tratou de se desculpar com o fato de que nos últimos dois anos, nenhum ator negro havia sido indicado. Com o vexame que ocorreu no ano passado com o boicote organizado por alguns atores e profissionais do cinema negros como o ator Will Smith e o diretor Spike Lee, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, rapidamente tentou consertar o estrago. Resultado é que este ano houve recorde em indicações para profissionais negros do cinema.

Ao todo são 18 negros indicados a prêmios diversos como direção, produção, edição, direção de fotografia, roteiro e seis indicações para atuação, um recorde já que o maior número em cerimônia anterior havia sido sete no ano de 2009. Outros recordes são, três atrizes negras numa mesma categoria, a de atriz coadjuvante. Viola Davis por “Um Limite Entre Nós” que também bate o recorde de indicação feminina, três no total, Octavia Spencer por “Estrelas Além do Tempo” e Naomi Harris pelo filme “Moonlight: sob a luz do luar”. Entre os indicados a melhor filme três são com temas relacionados a conflitos raciais. “Moonlight: sob a luz do luar”,  “Estrelas Além do Tempo” e “Um Limite Entre Nós”.  Há ainda indicações para dois roteiristas negros, um diretor de fotografia, dois produtores negros, um editor e cinco diretores negros, sendo um na categoria principal e outros quatro na categoria de melhor documentário. Aliás, nesta categoria três filmes tratam de maneira bastante incisiva a questão do negro nos Estados Unidos, “13ª Emenda”, da diretora Ava Duvernay, sobre o regime de escravidão e a superlotação das prisões norte-americanas, “Eu não sou seu negro”, do haitiano, Rauol Peck, que conta por meio de livro inacabado do escritor negro James Baldwin como o negro foi e é tratado nos Estados Unidos e “O. J.: made in America”, de Ezra Edelman, um documentário de quase 8 horas de duração que mostra, por meio  da saga do julgamento de O. J. Simpson nos anos 1990 várias consequências, entre elas o tratamento de cachorro que a polícia norte-americana tem com os negros.

Esta reviravolta na situação de um ano para outro deve-se principalmente pelo vexame que a Academia passou em 2016 sendo acusada abertamente por diversas personalidades artísticas de racista. Tanto que como forma de compensar o desastre nas indicações, na cerimônia do ano passado o apresentador convidado foi o ator negro Cris Rock que inevitavelmente falou do assunto em vários momentos da apresentação o que tornou a premiação em um show de demagogia com os negros. Para remediar a situação a atual presidente da Academia, a negra, Cheryl Boone Isaacs introduziu ao seleto grupo de integrantes da academia, ou seja, dos votantes, 683 pessoas do mundo do cinema de diversas nacionalidades e etnias, muitos negros e mulheres, para tentar amenizar a verdadeira “muralha” branca e masculina que é a academia. Para se ter uma ideia do quadro, até o ano passado, do total de integrantes, pouco mais de seis mil,  93% brancos e 76% homens. Este ano houve uma mudança significativa nas indicacões, mas isso não garante que os prêmios atinjam estes negros indicados e que nos próximos anos mais negros apareçam nas premiações.

O total desprezo aos negros no Oscar é de longa data. Vale destacar que em quase 90 anos de Oscar de um total de mais de 3100 estatuetas entregues a profissionais do cinema, cerca de 30 foram destinados a negros, menos de 1% deste total. Que a primeira atriz negra a ganhar um Oscar, em 1940, Hattie McDaniel pelo filme “E o Vento Levou” foi obrigada a se sentar em uma área destinada a negros, afastada dos demais participantes da cerimônia que ela recebeu o prêmio. Que o primeiro ator negro premiado em uma categoria principal foi em 1964, Sidnei Poitier, 35 anos depois da primeira cerimônia realizada e que o segundo ator negro a ganhar o Oscar na mesma categoria, Denzel Washington, foi 38 anos depois, em 2002. E que a primeira atriz negra a conquistar o Oscar na categoria principal foi também em 2002, 73 anos da primeira cerimônia.

O Oscar é a premiação do mercado de cinema norte-americano, não reflete o cinema mundial. Na premiação não está em questão a qualidade dos filmes e nem o talento de atores, diretores, técnicos etc, o que vale é o dinheiro. O Oscar ofusca festivais muito mais relevantes para o cinema mundial como o Festival de Cannes, de Berlim, Veneza, Bafta na Inglaterra, César na França entre outros tudo porque o que manda é o dinheiro. É óbvio que algumas vezes talento e dinheiro se encontram, mas o que dita as regras no Oscar é o lucro. Por isso o Oscar é uma festa de brancos, homens e ricos, são estes os detentores do dinheiro. Os negros são um adendo que vez ou outra inevitavelmente aparecem, por mérito próprio ou por pressão como é o caso deste ano, mas que não são imprescindíveis para a “festa do cinema”. O aumento deste ano se deve a uma pressão da opinião pública artística e mesmo popular que colocou a questão do negro, principalmente nos Estados Unidos com os constantes assassinatos de negros pela polícia, na ordem do dia. Isso não tira o mérito dos indicados, aliás há negros talentosos no cinema, todos os anos. Mas não é o número de indicados negros este ano que vai mudar o caráter do Oscar, uma festa de brancos onde os negros são chamados, muitas vezes a prestarem serviço e não festejarem como os outros convidados.

artigo Anterior

RJ: Familiares de PM’s protestam por “direitos” dos carrascos dos trabalhadores

Próximo artigo

Quatro momentos em que até você sentiu vergonha por João Dória

Leia mais

16 Comentários

  1. Excellent blog! Do you have any hints for aspiring writers?
    I’m planning to start my own site soon but I’m a little lost on everything.
    Would you propose starting with a free platform like WordPress or go for
    a paid option? There are so many choices out there
    that I’m completely confused .. Any suggestions? Cheers!

  2. Neat blog! Is your theme custom made or did you download it from somewhere?
    A design like yours with a few simple adjustements would really make
    my blog stand out. Please let me know where you got your design. Thanks

  3. I do not even understand how I finished up right here, but I believed
    this post was once great. I do not understand who you might be
    however certainly you are going to a famous blogger when you are
    not already. Cheers!

  4. I am extremely inspired together with your writing
    skills and also with the layout to your weblog. Is that this a paid theme or did you customize it
    yourself? Anyway stay up the nice high quality writing, it is rare to peer a nice blog like this one nowadays..

Deixe uma resposta