9 de janeiro de 1822 – Dom Pedro I se recusa a voltar para sua terra natal, no histórico “Dia do Fico”.

Compartilhar:

A chegada da Família Real Portuguesa, em 1808, e sua permanência no Rio de Janeiro trouxeram inúmeras consequências políticas e econômicas para o Brasil, dentre as quais devemos a elevação do país à categoria de Reino Unido, em 1815. Com a Revolução do Porto, em 1820, as elites políticas de Lisboa adotaram uma nova Constituição e D. João VI foi obrigado a voltar a Portugal para não perder o trono, deixando D. Pedro, na condição de príncipe regente.

As cortes de Lisboa, porém, não aprovavam as medidas tomadas por D. Pedro. Queriam recolonizar o Brasil e passaram a pressionar o príncipe para que também retornasse a Lisboa, deixando o governo do país entregue a uma junta submissa aos portugueses. No chamado Dia do Fico, D. Pedro decide desobedecer Portugal e continuar a governar, causando uma ruptura nas relações entre os dois países.

A reação dos políticos brasileiros foi entregar ao regente uma lista com 8 mil assinaturas solicitando a sua permanência no Brasil. A resposta de D. Pedro foi a célebre frase: “Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto: diga ao povo que fico”. Ela marca a adesão do príncipe regente ao Brasil e à causa brasileira, que vai desembocar na independência em setembro de 1822.

 

artigo Anterior

10 de janeiro de 1928 – A Expulsão de Leon Trotski da Rússia

Próximo artigo

A esquerda pequeno-burguesa fala contra o encarceramento em massa, mas quer aumento de crimes e penas

Leia mais

1 Comentário

Deixe uma resposta