Como fizeram com Vargas, eles não querem que Lula saia candidato

Compartilhar:

Como Vargas antes dele, Lula se encontra numa situação peculiar da história. O ex-presidente prepara-se para anunciar sua candidatura, mas a direita fala em alto e bom som “Não poderá ser candidato”, por um lado usam a ameaça de condenação e subsequente inelegibilidade, a cassação do PT e por outro lado apareceram com a PEC antilula. Uma Proposta de Emenda Constitucional que impede que quem tenha servido dois mandatos possa se candidatar, mesmo que não sucessivamente. A PEC se torna ainda mais cômica ao ver que apenas três brasileiros vivos seriam afetados pela PEC em âmbito nacional, Lula, Dilma e FHC. Dilma já disse que não busca uma nova eleição e apoia Lula, FHC nem se propõe a participar do voto popular, é uma PEC feita sob medida para impedir Lula e o PT.

Carlos Lacerda, jornalista, reacionário e inimigo de Getúlio Vargas, uma vez disse sobre Vragas: “Não pode ser candidato. Se for,não pode ser eleito. Se eleito,não pode tomar posse. Se tomar posse, não pode governar.”.

Dilma não foi pode governar e o golpe para ser vitorioso precisa impedir que Lula saia candidato, mesmo que em eleições farsescas como as que existem no Brasil. A PEC não cumpre nenhuma necessidade democrática, é injustificável jurídica e democraticamente, aponta apenas para um desenvolvimento extremamente ditatorial do regime, passar em lei um bloqueio à candidatura mais popular do País é uma afronta.

A PEC mostra a impopularidade do golpe, depois de derrubar Dilma, prender uma série de líderes do PT, dos jornais dedicarem todo o seu tempo a atacar a esquerda, os golpistas não conseguem se assegurar numa eleição, mesmo controlando o judiciário e tendo o poder econômico.

O momento é de denúncia, não se pode fazer como foi feito com o impeachment, é necessário denunciar todas as iniciativas da direita. Lula e a esquerda estão ameaçados tanto por medidas antidemocráticas como essa PEC, a reforma política, quanto pela ação policial que a operação Lava Jato conduz, prendendo militantes e dirigentes de esquerda, que tem como principal alvo o ex-presidente Lula.

Vargas deixou a direita engolir o cenário político, pressionado pela República do Galeão, ele cedeu mais e mais, desesperado e não vendo saída, com um tiro no coração deixou a vida para entrar na história. Essa não pode ser a história do movimento contra o golpe. As perseguições da República do Paraná devem ser respondidas por manifestações, qualquer ameaça aos movimentos sociais tem que ser amplamente denunciada, nenhum centímetro deve ser dado à direita, os trabalhadores têm que se mobilizar para que o golpismo de hoje não seja vitorioso como foi em outras épocas.

artigo Anterior

Mais ataques a Pimentel em Minas Gerais

Próximo artigo

O Brasil, nas mãos da Lava Jato, está em processo de desaparecimento

Leia mais

Deixe uma resposta