O que aprendemos com a URSS

Compartilhar:

No último dia 26, marca o 25º aniversário da queda da União das Repúblicas Socialistas e Soviéticas e o começo da restauração capitalista. O acontecimento foi noticiado tanto por jornais de esquerda quanto os da direita imperialista. Os primeiros variam de saudosismo demagógico a uma espécie de tentativa de desculpar para a burguesia os erros – verdadeiros ou falsos – da república dos sovietes. Os imperialistas usam toda e qualquer desculpa para repetir o mantra do capitalismo “A URSS falhou”. Um jornal comunista não poderia ter uma posição parecida com essa, ao contrário, é necessário mostrar de uma maneira científica as vias expressas abertas pelos bolcheviques, as lições da revolução e o desenvolvimento dela.

  • 1. Uma revolução possível

Antes de Lênin, Trotsky e o Partido Bolchevique tomarem o poder havia um enorme debate sobre se era possível que a classe operária chegasse ao poder, da mesma maneira que hoje falam que o socialismo é inviável. As próximas décadas seriam marcadas pelo “perigo comunista”, ou seja, a ameaça permanente de que o proletariado será vitorioso. Os operários russos provaram pela prática em 1917 o que os teóricos marxistas já sabiam desde 1848, desde a publicação do Manifesto do Partido Comunista, a classe operária pode, deve, e vai tomar o poder.

  • 2. A classe operária é mais poderosa que a burguesia

Antes da Revolução de Outubro, falava-se que o Estado burguês e a burguesia são mais poderosos que a classe operária. De novo a URSS mostrou pela prática que não. Após a revolução socialista, a URSS foi invadida por uma dezena de potências militares: Inglaterra, EUA, Inglaterra, Alemanha, França, entre outros. A revolução organizou o Exército Vermelho de operários e camponeses, não era mais bem armado que os exércitos imperialistas, não era mais bem treinado, acabara de nascer, mas ele representava a classe trabalhadora soviética, que conseguiu derrotar o imperialismo mundial, a classe produtiva venceu a classe que não produz.

  • 3. Sem alcançar o socialismo, a URSS mostrou a força do socialismo

O socialismo é um sistema de produção que requer meios de produção mais avançados que aqueles presentes nas economias capitalistas mais avançadas. A revolução tem como dever desenvolver os meios de produção. A URSS era um país pouco industrializado, muito mais atrasado do que o Brasil hoje. Naturalmente, para alcançar o socialismo, é necessário um funcionamento global da economia socialista e do auxílio de outros países mais desenvolvidos. Mesmo levando isso em conta, a URSS mostrou a força de uma economia cujas fábricas são propriedade dos trabalhadores, de um sistema político governado pelos trabalhadores e de uma sociedade que não busca enriquecer uma minoria de capitalistas mas resolver os problemas do povo. A URSS mostrou o que pode ser o socialismo, ao dar uma pequena e inicial amostra.

A experiência da URSS, muito longe de alcançar o socialismo, revela as possibilidades se o modo de produção socialista chegasse a um país como os EUA. A União Soviética livrou-se do analfabetismo em pouco anos, a Rússia se mantém com uma taxa de 99% alfabetizados até hoje. Foi garantido por muitos anos o pleno-emprego, colocaram o primeiro homem no espaço, a saúde e a educação em todos os níveis foi garantida para todos. Isso num país onde uma minoria sabia ler.

  • 4. O Ensaio geral da revolução mundial

A vitória dos russos na revolução, e depois as vitórias sociais sucessivas da república dos sovietes, iniciou uma nova fase da política mundial, uma fase de luta dos trabalhadores contra o sistema capitalista. Depois de 1917, a China fez uma revolução, a Coreia do Norte, Cuba, o Vietnã, vários países no Leste Europeu, a revolução de outubro iniciou uma transição para o socialismo, abriu o caminho para sucessivas vitórias do proletariado de maneira cada vez mais fácil, pois o povo aprendeu com as experiências.

Para concluir, é necessário dizer que não se deve ter um saudosismo da URSS, os revolucionários não devem chorar as mágoas do fim dela, no seu nascimento e no seu fim ela foi como Lênin disse “Um ensaio geral da revolução”, a última lição a ser tirada é que a vitória será ver a revolução se expandir por todo o globo terrestre. 100 anos atrás, num primeiro experimento, eles mostraram ser possível.

artigo Anterior

CE: Sob chantagem, governo aprova cópia da “PEC” golpista  que ataca trabalhadores

Próximo artigo

Dilma exige verificação de documentos feitos pela PF

Leia mais

Deixe uma resposta