Um balanço político de 2016, na Análise Política da Semana

Compartilhar:

A situação política não cessa, por isso, a Análise Política da Semana não encerrou suas atividades. No último sábado, 24, Rui Costa Pimenta apresentou os principais acontecimentos da semana no Brasil e no mundo, além de um balanço político do ano, entre derrotas e vitórias, da luta contra o golpe, do avanço da extrema direita, da luta contra o imperialismo, entre outros.

No terreno internacional, foram abordados os seguintes temas: a vitória do candidato da ala direita do Partido Republicano nos Estados Unidos para a presidência, em um momento que todos estavam contra a vitória de Donald Trump; também sobre a derrota do governo britânico diante do plebiscito que decidiu a saída do País da União Européia, a derrota do imperialismo na guerra da Síria, com a perda da cidade de Alepo para o governo de Bachar Al Assad, ou seja, 2016 foi um ano que o imperialismo não conseguiu vingar a maioria dos seus planos, tanto em seu país, como mundialmente.

Nesse momento, é evidente que o imperialismo precisa reorganizar todos os seus planos, no entanto, diante de uma situação mais difícil, enfrentar uma situação de negociação com outros setores da burguesia.

Na questão do Brasil, foi apresentado a perspectiva do aprofundamento da crise do governo golpista de Michel Temer. A política do governo entrou numa situação de descontrole total e, aparentemente, querem substituir o governo para coloca-lo em seu lugar um nome mais alinhado com o imperialismo norte-americano.

Assista na íntegra a transmissão feita nesse último final de semana no vídeo acima. Abaixo um recorte que trata sobre o descontrole dos golpistas diante do aprofundamento da crise política:

No próximo sábado, dia 30, será realizada a última Análise do ano. Assista ao vivo, às 11 horas, pelo site, YouTubefacebook da Causa Operária TV. Ou assista presencialmente no Centro Cultural Benjamin Péret, localizado na rua Serranos, 90, próximo a estação saúde do metrô, a entrada é gratuita.

artigo Anterior

Propaganda enganosa: cuidados com os operários da Friboi, só na TV

Próximo artigo

O gigante que pode derrotar o golpe e suas “reformas”

Leia mais

Deixe uma resposta