Em meio à demagogia do Natal, imprensa golpista continua os ataques contra Lula

Compartilhar:

O ano de 2016 foi marcado, entre outras coisas, pelo desenfreado ataque da imprensa golpista à esquerda brasileira. Indubitavelmente, a pessoa que mais recebeu investidas diretas da mídia burguesa foi o ex-presidente Lula, que foi acusado de roubar tudo de todos – segundo um dos porta-vozes do fascismo no Brasil, o procurador Deltan Dallagnol, Lula é o “comandante supremo” do petrolão. Era de se esperar, portanto, que a imprensa fechasse o ano pedindo a prisão de Lula.

Um dos “formadores de opinião” – isto é, blogueiros pagos pela burguesia para desorientar os trabalhadores – que se deu ao trabalho de continuar a perseguição ao ex-presidente foi Josias de Souza, do Blog do Josias. Ligado ao jornal golpista Folha de S. Paulo, o blog é dedicado a reproduzir as “opiniões” da direita nacional.

A matéria em que há o apelo para a prisão de Lula foi publicada na véspera do Natal, tendo como título “Notas do Instituto Lula trituram imagem de Lula”. O texto, embora curto, é bastante cansativo, pois tem o mesmo script dos inúmeros discursos antipetistas. Segundo o Blog do Josias, Lula seria um “ex-herói”, isto é, um ídolo nacional em decadência devido à sua “má conduta” – “Lula tornou-se uma melancólica fatalidade”.

Depois de partir desse pressuposto de que Lula está politicamente morto, o Blog do Josias ataca as notas que o Instituto Lula lançou em defesa do ex-presidente, alegando que estas seriam um “malabarismo retórico para esconder o fiasco do ex-mocinho”. Isto é, partiu para o velho argumento de que a denúncia dos ataques do imperialismo – ao invés de uma tentativa patética de se defender perante um Judiciário comprado – é uma confissão. No fim, Josias de Souza afirma que as declarações de Lula são um “atentado contra a paciência alheia”.

A matéria escrita por Josias de Souza não é uma mera opinião de alguém entediado com as notas do Instituto Lula. Ela é um grande exemplo de como é rasteira a imprensa burguesa e comprova o que o blogueiro de extrema direita Rodrigo Constantino já havia dito há alguns meses: “Lula precisa ser pego pela Justiça e também ser derrotado pela política. E, para tanto, jogar com os sentimentos do povo é crucial, pois só mesmo um ‘isentão legalista’ acha que dá para abrir mão desse instrumento e contar apenas com as leis, quando do outro lado está um cafajeste meio psicopata disposto a ‘fazer o diabo’ para inverter a narrativa e colocar até o juiz Sergio Moro como inimigo do povo”. Isto é: a direita está disposta a ir muito mais além para prender Lula do que lançar mão dos preceitos ditos “legais”.

A campanha contra a prisão de Lula não pode ser negligenciada. Assim como vários outros episódios do golpe – o próprio processo de impeachment, a tentativa de afastamento de Renan Calheiros etc. -, a tentativa de prisão do ex-presidente tem tido avanços e recuos de acordo com a situação política. Isso acontece porque, diferentemente do que disse o Josias de Souza, Lula não é um “ex-ídolo”. Lula continua sendo a figura pública da esquerda mais conhecida e com maior influência sobre as massas, de modo que a burguesia tem que planejar cuidadosamente sua prisão para não causar uma grande rebelião no país.

Enquanto a prisão não é feita, no entanto, dezenas de matérias de jornalistas pagos pelo imperialismo irão surgir semanalmente para continuar a tentativa de desgaste do ex-presidente Lula. E, como de costume, virão não só das colunas e blogs opinativos, mas também dos telejornais e jornais impressos que se arrogam “imparciais”. Virão como “fato”, com inúmeras “provas”.

A descarada campanha de desgaste da imagem de Lula pela imprensa golpista coloca claramente a necessidade de uma imprensa operária. Somente desta forma será possível quebrar o monopólio da imprensa burguesa e trazer à classe trabalhadora suas reais perspectivas de luta. Paralelo a isso, se faz ainda mais imperativa uma campanha contra o golpe de Estado e contra a prisão de Lula.

artigo Anterior

Contrato temporário é incentivo às demissões

Próximo artigo

Polícia da Tunísia prende três pessoas por estar “convencida” de que são terroristas

Leia mais

Deixe uma resposta