Crise do imperialismo: delegados confirmam vitória de Trump

Compartilhar:

Nesta segunda (19), o colégio eleitoral dos EUA, o qual escolhe o presidente ao final das eleições presidenciais, reuniu-se para selar a vitória de Donald Trump.

Trump conseguiu a cadeira presidencial contra Hilary Clinton nos colégios eleitorais, mesmo que tenha perdido a votação popular.

Nos EUA, as eleições não são diretas. Funcionam através do Colégio Eleitoral, no qual os eleitores de cada Estado não elegem o candidato, mas sim um delegado que irá representá-lo. Neste sentido, até as eleições no Brasil, que são decididas a partir do voto direto dos cidadãos, são mais democráticas.

Trump assumirá o posto de 45º presidente dos Estados Unidos no início do próximo ano e aparece como expressão da crise do regime.

O republicano de extrema-direita conseguiu a candidatura à revelia de seu próprio partido, cuja uma parte, inclusive, depois da consolidação de sua candidatura, decidiu declarar apoio à concorrente democrata apoiada pelo principal setor imperialista, Hillary Clinton.

A vitória de Trump demonstrou claramente a falência do regime norte-americano: o principal setor do regime já não consegue dominar o sistema como antes e isso permitiu a vitória de um elemento fora do establishment o qual representa um setor da burguesia com interesses contraditórios aos bancos.

Com Trump presidente, o imperialismo terá que, ou selar um acordo com o republicano ou encontrar um modo de o derrubá-lo. O fato é que a crise do imperialismo só irá se aprofundar cada vez mais.

artigo Anterior

Formação de Comitês de Luta Contra o Golpe: um passo a frente para derrotar os golpistas

Próximo artigo

“Temer e seu programa social”, por Jota Camelo

Leia mais

Deixe uma resposta