O “Framboesa de Ouro” da revista “Isto é”

Compartilhar:

João André Silva

Novamente nesta coluna vou usar uma referência de cinema para falar de fato acontecido recentemente. Na última semana a revista golpista “Isto é” realizou um evento para premiar figuras de destaque do cenário político e cultural do ano de 2016. A premiação que para os leigos e ingênuos, supostamente, seria de fato para os melhores do ano na verdade foram para os piores, assim como o prêmio cinematográfico citado no título. Um verdadeiro show de horrores da platéia aos premiados.

O prêmio foi concedido para onze figuras nas categorias de Brasileiro do Ano, Justiça, Televisão, Esporte, Teatro, Gestão, Política, Moda, Comunicação, Música e Cultura. Entre os destaques de piores do ano estão ninguém menos que o político mauricinho do PSDB, João Dória, o agente da CIA que se diz juiz, Sérgio Moro e o presidente golpista Michel Temer.

A tradição de show de horrores da “Isto é” é de longa data, basta lembrar que em 2006 a principal personalidade do ano foi a ex-senadora Heloísa Helena.

Vale aqui uma observação, a revista “Isto É”, mais popularmente conhecida como “Quanto é”, seguiu o roteiro de pena de aluguel dos golpistas e deu prêmios para os principais golpistas do momento. É uma revista que faz parte do monopólio da imprensa e compete com a Veja e a Época na campanha em defesa do golpe e contra os direitos democráticos da população.

João Dória, o milionário que virou prefeito de São Paulo e que promete privatizar tudo, tudo mesmo, na sua gestão, ganhou o prêmio de Revelação política (!!!).

Moro e Aécio! Quem será a dama e quem o vagabundo?
Moro e Aécio! Quem será a dama e quem o vagabundo?

O prêmio de Justiça foi para o juiz que não segue nenhum parâmetro legal para cassar os petistas e proteger os tucanos, Sérgio Moro. Aquele que prende sem provas os inimigos e arquiva as acusações com provas dos amigos. A propósito vale lembrar que a premiação da revista golpista também ficou marcada pelo “affair” entre Sérgio Moro e Aécio Neves durante o evento, registrado por fotógrafos que mostravam o juiz da Lava-Jato aos “beijos e abraços”,  cochichos e sorrisos com o senador do PSDB oito vezes delatado na Lava-Jato. Choveu memes satirizando “os pombinhos”.

Para completar o cenário de cinismo e deboche da premiação, o presidente golpista Michel Temer, recebeu o principal prêmio da noite o de Brasileiro do Ano. Seria mais adequado de golpista do ano.

O evento ainda reuniu uma claque de ministros golpistas e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que só não recebeu o prêmio de Gestão de Recursos Hídricos porque a “Isto é” ainda não teve a ideia de criar essa categoria, mas quem sabe no ano que vem.

artigo Anterior

CUT repudia manobra da FIESP: “Vândalo é quem apoia ataques à democracia”

Próximo artigo

O que os golpistas de hoje disseram em 1964

Leia mais

Deixe uma resposta