VIII Congresso do PCO, veja discurso do companheiro Christian Armenteros da TPR argentina

Compartilhar:

A seguir transcrevemos a intervenção do companheiro Christian Armenteros da Tendência Piqueteira Internacional (TPR) da Argentina no VIIIº Congresso do Partido da Causa Operária (PCO) que aconteceu entre os dias 10 e 11 de dezembro.

Leia a seguir a matéria com a transcrição do discurso do companheiro em saudação ao Congresso:

“A palavra de ordem da TPR foi: “Por uma unidade da esquerda anti-golpista da América Latina”.

A transcrição não é literal (foram agregados alguns conceitos na versão escrita) mas consideramos válido expressarmos a licença uma vez que o autor da transcrição e quem discursou são a mesma pessoa.

Adicionamos por esse motivo também o vídeo do discurso para quem queira se interar aos detalhes. Boa leitura e viva a unidade mundial da classe operária.

Antônio Carlos Silva: Convidamos o companheiro Armenteros representando a Tendência Piqueteira da Argentina. Chamamos ele para que faça sua saudação e intervenção inicial para o congresso. O companheiro Afonso irá fazer a tradução simultânea.

Christian Armenteros: Boa noite, companheiras e companheiros. Meu nome é Christian Ezequiel Armenteros e venho trazer a vocês uma saudação da Tendência Piqueteira Revolucionária da Argentina. Nossa organização foi fundada em 2010 e estamos no nosso sexto ano de atuação. Nos definimos com “a esquerda piqueteira que não faz acordos com Macri.”

TPR: A ESQUERDA ARGENTINA DA FRENTE ÚNICA ANTI-MACRI

Nossa organização faz parte da esquerda argentina e, como colocou o companheiro Rui Costa Pimenta, somos a esquerda que luta contra Macri e que tem a determinação de convocar uma Frente Única Anti-Macri com o kirchnerismo, a esquerda e os sindicatos. Ou seja, somos uma esquerda que está marcando um rumo estratégico distinto. Um plano para derrotar o ascenso da direita na América Latina.

TPR-PCO: NOS UNE A HISTÓRIA E UMA MESMA CORRENTE REVOLUCIONÁRIA DE DIMENSÃO MUNDIAL

E é por isso que hoje estamos participando do VIIIº Congresso do Partido da Causa Operária. Porque nos une a história; porque formamos uma mesma corrente revolucionária em escala mundial; porque nos sentimos convocados pela luta do PCO contra o golpismo no Brasil. Por isso, como Tendência Piqueteira Revolucionária, chegamos aqui com a palavra de ordem: Apoiar o VIIIº Congresso do PCO para construir a unidade da esquerda anti-golpista em toda América Latina.

AINDA MAIS IMPORTANTE QUE A VERDADE É A LUTA DE CLASSES

Em segundo lugar, saúdo este congresso não só em nome da esquerda. Se há algo mais importante e poderoso que a esquerda: é a luta de milhões de explorados. Mais ainda importante que a verdade é a luta de classes. E há uma luta de classes na Argentina contra o governo direitista de Macri.

Venho saudar enquanto trotskista, enquanto militante da Quarta Internacional e como lutador popular argentino contra a direita continental. Saúdo em nome dos milhões de trabalhadores que lutam contra Macri. Saúdo em nome dos milhões de trabalhadores que tomaram as ruas em 24 de março contra a direita que apoia a ditadura militar. Saúdo em nome das milhões de mulheres que tomaram as ruas da Argentina com as palavras de ordem #NiUnaMenos (#NenhumaAMenos), #Vivasnosqueremos  (#VivasQueNosQueremos), #Yanonoscallamos  (#JaNaoNosCalamosMais) e #ParodeMujeres  (#GrevedeMulheres). Saúdo em nome dos milhões de trabalhadores que em setembro organizaram a Marcha Federal contra Macri. Uma Marcha Federal que a partir de cinco lugares e com cinco blocos sacudiram a Argentina de norte a sul com uma palavra de ordem: “Greve Geral!”.

Com essa marcha derrotamos a ofensiva de ajuste de Macri. E não para de retroceder e fracassar o governo Macri desde outubro.

A DIREITA É INCOMPATÍVEL COM OS DIREITOS

O povo argentino vê com clareza que não é compatível a direita com os direitos. Por isso Macri está com medo de perder as eleições legislativas no próximo ano. E a palavra de ordem da Tendência Piqueteira Revolucionária é “Pela derrota eleitoral de Maurício Macri em 2017”,

EM ARGENTINA, É A HORA DOS PIQUETEIROS

Por isso, agora em dezembro, conquistamos as ruas com 15 mil piqueteiros cortando os acessos e as ruas da Capital Federal. Na Argentina, agora é A HORA DOS PIQUETEIROS. O governo de Macri está paralisado perante nossa iniciativa política. O governo de Macri está em tempo de desconto.

Por isso, estou trazendo a saudação de 200 piqueteiros que agora mesmo estão realizando nosso IIIº Congresso Piqueteiro de Bairros no Bairro Soldati (“favela” da cidade de Buenos Aires). Temos duplicado nossa presença nos bairros em dois meses. Passamos de 3 a 6 bairros em Outubro e de 6 a 12 bairros em Novembro. O mais provável é que terminemos  o ano com assembleias em 18 bairros, ou seja, em três meses aumentaremos seis vezes a quantidade de bairros onde militamos. Contra a miséria macrista, cresce a fusão da esquerda trotskista com os bairros pobres. Cresce, portanto, o movimento piqueteiro. Em dezembro, os piqueteiros passaram à ofensiva contra Macri. Exigimos um natal sem fome, com trabalho, em paz, sem repressão e sem presos políticos.

A CRISE DO GOVERNO DE MACRI É A OPORTUNIDADE DOS PIQUETEIROS E DO POVO BRASILEIRO

Clarín, o sócio de O Globo na Argentina, bem sabe: em seu editorial teve como manchete “Com os piqueteiros, seguimos mudando”. Ou seja, criticam Macri por não ter coragem de assassinar piqueteiros. Pedem nossa cabeça. Estamos perante um governo que tem que lidar com uma bifurcação: ou aplica o ajuste à sangue e fogo; ou estabelece uma assistência social para ganhar as eleições.

Esta é a crise do governo Macri. E esta é a oportunidade dos piqueteiros. E esta é a oportunidade para o povo brasileiro para derrotar os cúmplices argentinos dos golpistas. Os golpistas brasileiros estão perdendo seus aliados na região. E aqui estão, no seu congresso, os piqueteiros argentinos que cortaram as rotas do governo Macri, que lutaram pela liberdade de Milagro Sala e que marcharam à Embaixada do Brasil ao coro de “Gospistas! Fascistas! Não passarão!”

DIEGO ARMANDO MARADONA: LA VOZ DEL PUEBLO ARGENTINO

Em terceiro lugar, gostaria de contar uma anedota para que vejam em que ponto está o povo argentino.

No jantar de hoje do congresso, estava refletindo com o companheiro Daniel sobre o que disse o companheiro Rui sobre ca capacidade das pessoas de poderem aprender. Então comentamos as recentes declarações do companheiro Diego Armando Maradona.

O companheiro Maradona viajou para Cuba por causa do falecimento de Fidel Castro. E o que falou em Cuba? “Em outra conjuntura havia apoiado Menem e depois me dei conta que Fidel Castro era como um segundo pai, porque Cuba me ajudou com minha saúde. Por isso eu nunca vou ser macrista. Porque sou um soldado cubano. E se o povo sair para as ruas na Argentina, Macri não poderá cortar o panetone.”

Conclusão: Diego Armando Maradona conclama o povo argentino para derrotar o governo direitista de Macri.

Força Maradona! (aplausos)

E Pelé… Bom… Segue sendo coxinha. Tem gente que nunca irá mudar. Que podemos fazer? (risos).

Isso é importante já que se Maradona disse “vamos para as ruas contra Macri” não é só porque Maradona é um ídolo mas porque reflete um profundo sentimento popular contra Macri.

Esta mensagem que quero passar é uma mensagem de luta, de solidariedade com seu congresso e de esperança, já que o povo argentino deseja ir para o lugar em que vocês também desejam levar a nossa América Latina, ou seja, o povo argentino deseja anseia lutar contra os golpistas.

O CONGRESSSO DO PCO É UM CONGRESSO CHEIO DE GENTE MUITO LINDA

Por último, já que o congresso tem que continuar, “O que vejo nesse congresso?” Vejo um congresso cheio de gente muito linda (risos) (“Obrigado” e “gracias” falam o público).

E o que de muito lindo vocês tem?

Que em meio a um golpe no Brasil há uma confiança no futuro. Isso é decisivo para triunfar.

UMA DIREÇÃO COMPROVADA NA LUTA CONTRA A DITADURA

Tem também uma direção comprovada. Nesta mesa está Rui Costa Pimenta que foi à Argentina durante a ditadura de Videla (1976) viajando na clandestinidade para apoiar os congressos do Política Operária (organização trotskista argentina que precedeu o Partido Operário – “Partido Obrero – PO”).

Nessa mesa também está Antônio Carlos Silva, que mais ou menos deve ter recrutado do congresso. Todo o mundo me disse “sou do Educadores Em Luta” (agrupação de professores do PCO). Antônio é um enorme construtor do movimento operário.

Essa é a realidade das ideias revolucionárias: quando entram em fusão com os lutadores e com a classe operária.

UMA NOVA GERAÇÃO DE MILITANTES

E se vocês mesmos têm características muito positivas: há muitos companheiros que estão tendo sua primeira experiência política justamente no Partido da Causa Operária. É o mesmo que dizer que os lutadores despertam à uma consciência revolucionária em meio ao golpe e abraçam ao trotskismo como uma bandeira de luta para derrotar o fascismo.

Ao mesmo tempo que nos querem meter medo e nos falam que nada se pode fazer, vocês dizem: vamos construir um partido operário internacionalista. Essa é a chave para a vitória. E que as novas gerações de lutadores se unam com a vanguarda revolucionária.

TRÊS GERAÇÕES, UM MESMO PARTIDO REVOLUCIONÁRIO

É um amplo sintoma político que as velhas gerações com maior experiência, que em seu momento estiveram afastadas por motivos pessoais ou políticos, agora estão voltando à militância e também estão presentes neste congresso. As companheiras e os companheiros sabem que o PCO tem seu lugar de luta contra o golpismo. A fusão destas três gerações (a geração histórica da direção, a geração com experiência e a nova geração que abraça o trotskismo em luta contra o golpe) mostra que o PCO é um partido com um grande futuro porvir.

TORNAMOS REALIDADE OS PIORES PESADELOS DA DIREITA

Por último, no dia de ontem, participamos enquanto TPR e PCO, de uma conversa organizada no Brasil entre Dilma Rousseff e Cristina Fernández Kirchner.

Primeiramente, considero fantástico que agora estejamos organizados nesse congresso, entre PCO e TPR. Cristina tem Dilma como aliada e a TPR tem como aliado o PCO.

E nos deixa muito contentes que foram acordadas essas reuniões com um dia de diferença já que a preocupação que todos os jornalistas me transmitiam com os que fui conversar foi “Ah! Vocês estão coordenando algo contra o golpe entre Dilma, Cristina, o PCO e a TPR!” É fantástico! Que maravilhoso que tenham medo!

A sorte se inscreve no curso da história. Não é por acaso que Dilma, Cristina, a TPR e o PCO estejam reunidos no Brasil quase no mesmo dia. Essa é a unidade que necessitamos contra o ascenso da direita. Construir essa unidade e tornar realidade os piores pesadelos da direita é a tarefa que temos de levar a cabo. Que maravilhoso não?

O PCO PUXA A ESQUERDA BRASILEIRA PARA LUTAR CONTRA O GOLPE

Última coisa que falo a vocês, também estavam os torcedores o Corinthians conversando sobre Cristina e Dilma. Quando comentei que eu estava no Brasil para o VIIIº Congresso do PCO, sabem o que me falaram? Que o PCO é um grande partido da esquerda brasileira porque teve o mérito de ter participado da fundação do PT; porque foi um erro o PT ter expulsado o PCO na década de 90; e que é muito importante o papel que assume o PCO hoje já que, como explicou o companheiro Rui, o PCO puxa a esquerda brasileira, ou melhor, empurra com suas engrenagens e fazendo girar a esquerda brasileira contra o golpismo. O PCO conta com um companheiro como Rui que tem autoridade para desautorizar a esquerda golpista.

Não sei se foi Rui que mandou um companheiro corinthiano me falar isso, pois não haveria opinião melhor sobre o PCO. (risos)

Se me perguntarem posso afirmar que creio que tudo estava armado. Foi tudo uma simulação. Era incrível como os torcedores do Corinthians falavam tão bem do PCO (risos).

PCO: UM PARTIDO QUE GANHOU SEU LUGAR NA HISTÓRIA

Então que ótimo companheiras e companheiros, é isso que vejo no congresso do PCO.

É fundamental que sejam conscientes do lugar que ocupam na história e que sejam conscientes de que o PCO conquistou seu lugar na história. Ninguém deu nada de graça a eles. Tudo que conquistaram foi por sua luta política. E essa luta do PCO é uma inspiração para a TPR na Argentina.

Por essa razão, companheiras e companheiros, creio que o PCO é um partido valente porque se prontifica a falar a verdade em voz alta. E a esse protagonismo de verdade, quando entra em fusão com a luta de milhões de trabalhadores, ninguém conseguirá parar.

Obrigado companheiras e companheiros. E lhes desejo grandes êxitos neste istórico VIIIº Congresso do Partido da Causa Operária (aplausos).

artigo Anterior

Por que deram o golpe?

Próximo artigo

Anulação do impeachment, derrotar o golpe, como alternativa para a crise

Leia mais

Deixe uma resposta