O Partido que estamos construindo

Compartilhar:

A oito dias da abertura do nosso 8º Congresso, deixo de lado por um momento os temas de que trato habitualmente nessa coluna para considerar a dimensão da tarefa a que nos lançamos.

Toda a discussão desse Congresso será feita em meio a uma profunda crise política nacional, um golpe de Estado.

Esse fato, o golpe, e a ação do nosso Partido diante dele, procurando explicar, analisar e tornar mais claros e compreensíveis os acontecimentos e as tarefas deles decorrentes, são os principais responsáveis pelo grande crescimento e fortalecimento partidário.

Praticamente todos os militantes que se aproximaram do partido no último período o fizeram por terem colocado a luta contra o golpe de Estado no centro das suas próprias preocupações. Entraram em sintonia com o nosso Partido, o que há mais tempo trata do problema do golpe como uma questão central, decisiva, para a classe operária e o próprio País.

Esse crescimento tornou uma realidade a organização do Partido em todos os estados do País. Tornou possível que, em pouco tempo a partir de agora, o próprio partido dobre de tamanho, reforçando-se ali onde já está mais bem organizado, expandindo-se para novas frentes.

É um momento de reflexão e debate, de preparar a ação do Partido no próximo período. Por isso, toda a militância tem sido convocada a participar ativamente do debate, a estar presente no próprio Congresso e tomar parte na discussão. A debater não só o que acontece no País e no mundo (e que norteia a definição da tática política imediata), mas a discutir e contribuir coletivamente com a própria construção do Partido.

Nosso Partido está fundado sobre uma sólida teoria, o marxismo, e sobre a tradição política, revolucionária e proletária do partido que dirigiu a maior revolução da história da humanidade, o bolchevismo.

A teoria revolucionária é um guia para a ação de um partido revolucionário. E nesse sentido, além do trabalho para reunir em um só local companheiros de todos os cantos do País no nosso próximo Congresso, é preciso destacar também o esforço contínuo, sistemático, do Partido para educar politicamente e teoricamente seus militantes.

Refiro-me à Universidade de Férias do Partido, realizada em conjunto com o Acampamento de Férias da Aliança da Juventude Revolucionária, que chegam em janeiro próximo à sua 39ª edição. São praticamente 20 anos durante os quais realizamos cursos de formação política e teórica duas vezes ao ano, reunindo companheiros de todo o País.

Esse é o Partido que estamos construindo discutindo política, estudando constantemente a teoria e organizando a sua atividade militante em escala nacional. E assim devemos continuar fazendo, debatendo e trabalhando na construção do Partido da revolução, do governo operário e do socialismo.

Militantes do PCO, todos ao 8º Congresso do Partido!

Ao debate! Ao trabalho! Viva o Partido da Causa Operária!

artigo Anterior

2 de dezembro de 1976 – Fidel Castro assume a presidência de Cuba

Próximo artigo

“Racismo”, por Pedro Nathan

Leia mais

3 Comentários

Deixe uma resposta