Direita golpista intensifica a repressão contra os estudantes

Compartilhar:

Após o golpe de Estado, a direita vem intensificando cada vez mais a repressão contra a população. Exemplo disso é o que está acontecendo em São Paulo, estado governado pelo golpista Geraldo Alckmin do PSDB. Desde, o início do mês a polícia do estado, conhecida pela brutalidade que age contra a população pobre, desocupou, sem nenhum mandado de reintegração de posse, quase dez  escolas estaduais que estavam ocupadas pelos estudantes contra a reforma do ensino médio e a PEC 241. Ao todo mais de cem estudantes foram detidos

O que chama atenção é o fato da PM estar agindo sem qualquer base legal, entrando à força nos colégios e prendendo os alunos. Tal fato revela a verdadeira ditadura que vem se impondo no país. Há vários relatos de agressões aos estudantes, isso sem falar nas prisões que estão ocorrendo de forma totalmente arbitrária.

O mesmo procedimento vem sendo adotado em outros estados. No Paraná a polícia de Beto Richa está usando a mesma tática. Por meio da força e da violência, buscam acabar com as ocupações e intimidar os estudantes.

Em uma outra escola do estado de Tocantins, os alunos que participavam de uma ocupação saíram algemados de dentro da escola após uma ação da PM.  

O que se vê, portanto, é uma política coordenada dos golpistas para tentar conter por meio da repressão a reação à política de destruição do país que a direita vem promovendo. Além da PM, a direita tem se utilizado também de grupos fascistas como o MBL. No Paraná, integrantes do movimento estão entrando nos colégios e ameaçando os estudantes. Isso sem falar no jovem assassinado dentro de uma escola, ao que tudo indica por uma ação orquestrada pela própria direita.

Diante dessa situação é preciso intensificar a mobilização dos estudantes e as ocupações em todos os estados colocando como eixo central a luta contra o golpe de Estado. A repressão é a política da direita golpista que avança sobre o país. Ela se aproveita da fragilidade do movimento que se pauta em questões parciais, como a reforma do ensino médio e a PEC 241. É necessário unificar todo o movimento na luta contra o golpe e contra a direita fascista. Somente a derrota dos golpistas pode por abaixo esse regime de terra arrasada e de repressão que toma conta do país.

artigo Anterior

Estudantes resistem à tentativa de desocupação de escola no Paraná

Próximo artigo

Governo da França acelera demolição da “selva” de Calais

Leia mais

Deixe uma resposta