Golpe contra Pimentel levará PMDB ao governo de Minas Gerais

Compartilhar:

Em um dos mais importantes estados do país ocorre um processo semelhante ao nacional, onde a aliança PT-PMDB pode acabar em mais um golpe.

O presidente do PMDB em Minas Gerais, o ruralista Antônio Andrade, pode assumir o governo do estado caso o governador Fernando Pimentel (PT) vire réu no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Pimentel, que é do PT, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Ele é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. A Constituição de Minas Gerais determina que o governador não pode ficar no cargo caso esteja respondendo na Justiça por crimes comuns.

Em um país onde praticamente todos os governadores respondem a algum tipo de processo, ou são investigados sob suspeita de ter cometido algum crime, é muita coincidência que o único que realmente tenha chances de ser punido seja do PT. Mesmo partido cuja presidenta da República acaba de ser afastada mediante processo de impeachment.

Minas Gerais é justamente o único estado entre os três principais do país (os outros são Rio de Janeiro e São Paulo) que não está diretamente sob controle da direita.

Em São Paulo, o PSDB domina o governo do estado já faz mais de uma década. No Rio de Janeiro é o PMDB quem assumiu o controle do Executivo há muitos mandatos.

Nesse sentido, a eleição do PT em Minas Gerais foi uma mudança significativa. José Pimentel foi eleito depois de mandatos seguidos de PSDB. Primeiro com Aécio Neves, depois Antonio Anastasia. Os dois são agora senadores, tendo Aécio Neves sido derrotado por Dilma nas eleições presidenciais de 2014, e Antonio Anastasia foi o relator do processo contra Dilma na Comissão especial de impeachment no Senado.

O PMDB de Minas Gerais não se diferencia nacionalmente, nem o PT que no caso de Dilma demorou para reconhecer o processo golpista. Nesse caso, Pimentel está prestes a ser golpeado e não há nenhuma denúncia do processo.

Em um país que tem governadores como Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Beto Richa (PSDB-PR), José Ivo Sartori (PMDB-RS), Marconi Perillo (PSDB-GO) e tantos outros, cassar o mandato do petista José Pimentel é um verdadeiro escárnio.

Apenas para citar um caso, os governos do PSDB de São Paulo, incluindo Geraldo Alckmin, responde a vários processos na justiça. Um deles conhecido como propinoduto tucano corresponde a contratos irregulares de empresas com o governo que chegam a R$ 40 bilhões.

Assim como no caso de Dilma Rousseff o processo contra José Pimentel em Minas Gerais é um processo farsa, que tem como único objetivo tirar o PT do governo, alinhando este importante estado com a política de ajuste e repressão do governo nacional, do Rio de Janeiro e São Paulo.

Trata-se de mais um golpe da direita, da burguesia contra o PT que visa, entre outras coisas, enfraquecer qualquer possibilidade de reação contra o golpe em nível nacional.

artigo Anterior

Governo francês proíbe manifestações

Próximo artigo

Novo Ministro da Justiça: a capivara

Leia mais

Deixe uma resposta