Mulheres fazem ato contra homenagem de Bolsonaro ao torturador Ustra

Compartilhar:

Contra o golpe

Nessa segunda-feira, 2, mulheres realizaram uma manifestação em frente ao 1º Batalhão de Polícia do Exército, local onde funcionava o antigo DOI-Codi, centro de torturas, do Rio de Janeiro. As integrantes do ato instalaram um varal onde perduraram cartazes com fotos de presas políticas da época do regime militar no Brasil que foram torturadas, muitas delas mortas.

O ato foi impulsionado para darem uma resposta ao deputado golpista Jair Bolsonaro (PSC-RJ) que durante a votação de aceitação do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados, homenageou um dos principais torturadores de presos políticos, o militar Brilhante Ustra.

Ao longo do ato, mulheres que foram presas políticas e sobreviveram, participaram lendo relatos de torturas, como da historiadora Dulci Pandolfi e Ana Miranda, ambas presas nesse destacamento e torturadas pelo próprio Brilhante Ustra.

Bolsonaro é a caricatura do fascismo. E é isso que a direita quer, dar um golpe para instalar um regime de perseguição com bastante violência contra os movimentos sociais, os partidos de esquerda, todos os movimentos democráticos. É necessário resistir e repudiar todas essas ações como a de Bolsonaro, que defende torturador.

artigo Anterior

Estudantes resistem à repressão policial no Centro Paula Souza e continuam a ocupação

Próximo artigo

Zé Celso apresenta peça de teatro contra o golpe

Leia mais

Deixe uma resposta