O PSTU e a tese da Revolução Egípcia no Brasil

Compartilhar:

colunistas rui 3Rui Costa Pimenta

O povo pressionou o Congresso que derrubou a Dilma, que agora vai derrubar temer, depois Aécio e assim por diante, até entregar o poder para o PSTU…. como no Egito

Os dirigentes do PSTU comemoraram, neste domingo, a vitória da Revolução Proletária e Socialista que iniciou o processo legal de impeachment de Dilma Roussef.

Você ainda não viu nem sinal desta revolução? Não tem a menor importância. Os dirigentes do PSTU há muito que não fazem caso da realidade. O divórcio é completo.

A tese revolucionária para o Brasil é simples; tão simples que qualquer idiota pode entender. E, de fato, só é compreendida mesmo por idiotas e mal intencionados. O povo revolucionário pressionou os vampiros que todo o País viu ontem fazendo declarações grotescas em defesa de deus, da família, dos filhos (faltaram, evidentemente elogios às diversas amantes) e ao seu rincão, de onde sugam até a última gota de sangue. Diante dessa pressão revolucionária, a contragosto (como se pode ver nas caras de tristeza dos apoiadores do impeachment) votaram para iniciar a retirada de Dilma Rousseff do poder.

Agora, se tudo correr bem para os revolucionários malgré tout, Temer assumirá o poder e aí começará uma nova e mais profunda fase da revolução. O povo revolucionário sairá novamente às ruas e adeus Temer!

A roda da história é implacável e reduzirá a farinha de trigo fina o PSDB, o DEM, a FIESP, A Febraban, a CNI, CNA, O Globo, Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, TV Bandeirantes, a Política Federal, o judiciário de direita e todos os demais, incluindo aí o imperialismo norte-americano e mundial.

No rastro desta destruição criadora, restará o PSTU, de braços abertos para receber o poder do povo revolucionário e consumar a revolução proletária e socialista. Claro está que as expectativas reais do PSTU não vão além das próximas eleições e da eleição de um deputado federal. Mas é preciso apresentar as coisas na melhor luz possível.

Esta tese é a tese do PSTU para a “Revolução Egípcia” de 2013. O povo revolucionário pressionou os militares egípcios que, apesar deles mesmos, realizaram uma revolução proletária e socialista derrubando Morsi, presidente eleito. Depois massacraram os partidários de Morsi nas ruas – massacre selvagem que o PSTU, partido integralmente revolucionário, apoiou; condenaram centenas à penas de morte e, desta forma, consumaram a revolução proletária e socialista, tomando o poder para si mesmos e estabelecendo uma ditadura militar pior do que a de Hosni Mubarak.

O interesse próprio e cego é o pior conselheiro em política. No mundo real, os únicos interesses que contam são os interesses das classes polares da sociedade, o proletariado e a burguesia. A burguesia toda apoia e trabalha ativamente pelo golpe de Estado em curso contra o governo do PT. O interesse dos trabalhadores  consiste em impedir a vitória dos seus inimigos de classe, custe o que custar. Isso o PSTU e outros produtos similares da inconsciência e cupidez pequeno-burguesa nunca irão entender. Por isso, são um obstáculo à luta democrática contra a direita golpista.

artigo Anterior

Já está nas ruas o Jornal Causa Operária nº896

Próximo artigo

Paulinho da Força — O facínora

Leia mais

Deixe uma resposta