PSTU critica o PSOL por votar contra o impeachment.

Compartilhar:

Antonio Eduardo Alves Oliveira

No momento que existe uma mobilização popular contra o golpe, o PSTU defende o “Fora Dilma” e o “Fora todos”, quando somente a direita pode chegar ao poder e o governo que está ameaçado é o governo da frente popular.
Para o presidente do PSTU, o correto na comissão do impeachment era a abstenção. Ou seja um apoio indireto aos golpistas, indireto, mas absolutamente claro.
Para os sectários do PSTU não se deve dar nenhum voto contra o impeachment, pois é votar com “governistas”, votar contra o impeachment é ser responsável por tudo que o governo faz. Isso é um método de pressão ultraesquerdista contra os que lutam contra os golpistas.
Em nome de um imaginário “fora todos”, os morenistas fazem uma frente política com a direita reacionária para lutar contra o movimento democrático de massas que se criou para combater o golpe de Estado.
O PSTU que controla a CSP que manda no Andes fazem coro com a comissão fraudulenta do impeachment.
O Andes deve romper com a CSP e com a política de apoio aos conspiradores por parte do PSTU.

artigo Anterior

Sauditas destruíram o Iêmen

Próximo artigo

Encerram-se hoje as eleições para DCE da USP

Leia mais

2 Comentários

Deixe uma resposta