Palavrões de Lula e da direita e os puritanos de esquerda e de direita

Compartilhar:

Ninguém se comoveu quando Dilma foi ofendida em um estádio de futebol

Durante os áudios gravados de Lula, em diversas conversas com políticos, Lula fala palavrões para se referir aos processos que estão movendo contra ele, o Partido dos Trabalhadores e outras pessoas.

A direita, através da imprensa burguesa, faz questão de “denunciar” que o ex-presidente fala palavrões, se mostrando alarmada e chocada com o fato de que Lula diz palavras de baixo calão.

Os direitistas, falsos moralistas, fazem essa campanha para agradar os puritanos da classe média, que estão em total histeria diante do golpe de estado. O moralismo é uma das principais características da pequena-burguesia

Mas tudo não passa de uma cena.

Esses mesmos direitistas são os que apoiam, por exemplo, os justiceiros que covardemente espancam crianças negras nas ruas. Apoiam todos os grupos de extrema direita que agridem pessoas nas ruas. Apoiam os grupos de extermínio da PM, redução da maioridade penal, pena de morte, e, finalmente, o golpe de estado. E fingem ficar comovidos com um palavrão.

Não se comoveram quando um estádio quase inteiro, na abertura de um jogo do Brasil e da Copa do Mundo, mandou a presidenta da república, Dilma Rousseff, “ir tomar no cu”. Pelo contrário, ficaram louvando a suposta revolta dessa classe média hipócrita.

O mesmo vale para os comovidos da esquerda, que passaram anos lutando para que existam leis que impeçam que determinadas palavras não fossem faladas, pois, iguais aos direitistas, ficam ofendidos, chocados. Puta, negro, macaco, viado, sapatão, e outras dezenas de palavras entraram no rol das palavras proibidas pela esquerda.

Toda comoção em volta de determinadas palavras não passa de um propósito de aumentar a repressão à livre expressão. Guarda de fundo, finalmente, o objetivo de aumentar o poder das forças repressores do estado

artigo Anterior

“Pena de morte aguarda Assad”, diz negociador apoiado pelo imperialismo

Próximo artigo

Lava jato: ataque contra o sindicato e os trabalhadores

Leia mais

Deixe uma resposta