Como os golpes são vitoriosos

Compartilhar:

Rui Costa Pimenta

colunistas rui 3O presidente do PT, Rui Falcão, faz um apelo a que os militantes do PT se mantenham calmos, não se manifestem no dia 13, “não radicalizem” (quantas vezes ouvimos este estribilho dos dirigentes do PT em 36 anos!).

Se o tempo não fosse curto, se as medidas de luta e organização não fossem urgentes, sugeriria aos dirigentes do PT realizar um curso básico de política tendo como tema: “Como os golpes de Estado são vitoriosos”.

A primeira regra do golpe de Estado é: o golpe é dado, via de regra, por uma minoria contra a maioria. É uma coisa óbvia, pois se fossem maioria, não haveria a necessidade de golpe e, até mesmo podemos dizer, que o golpe seria dado contra eles mesmos. Bastaria a pressão popular para acabar com o adversário. Como tudo na vida, há exceções a esta regra, mas aqui o caso é muito claro, porque os golpistas, apesar da enorme exibição de truculência, perderam as eleições, as únicas onde os o voto de cada brasileiro vale um voto. A única eleição nacional.

O golpe de Estado da minoria – que é o caso aqui – depende exclusivamente… da maioria. Lênin, ao falar da insurreição, que é uma espécie de golpe de Estado virado às avessas, assinalou que a insurreição deve ser lançada no momento de maior mobilização das forças revolucionárias e de maior confusão e desorganização das forças contrarrevolucionárias. O resultado é conhecido por muitos.

Aqui, a passividade das forças contra o golpe, a sua confusão, é a maior arma dos golpistas. Precisamos de provas? Estão aí os apelos vindos de todos os lados, espelhados nas páginas da imprensa golpista e nas telas de TV para que não se radicalize, que se evite a violência (como são pacíficos e ordeiros!).

Rui Falcão e outros dirigentes do PT ouviram este apelos, como o cordeiro do sacríficio se contenta com o carinho da mão esquerda, enquanto a direita prepara o golpe de facão.

O golpe será vitorioso se não houver resistência. Se os confusos continuarem a semear a confusão e esta não for desfeita. O PT e as organizações sindicais e populares que são contra o golpe vem sendo advertidas pela realidade desde o julgamento do Mensalão. Quantas mais provas serão necessárias para a mobilização geral contra o golpe de Estado?

artigo Anterior

Lula: prisão para calar oposição ao golpe

Próximo artigo

A esquerda pequeno-burguesa a reboque da direita fascista

Leia mais

Deixe uma resposta