A esquerda pequeno-burguesa a reboque da direita fascista

Compartilhar:

Rui Costa Pimenta

colunistas-rui-3Já não é possível restar qualquer dúvida de que a frente única entre os golpistas do judiciário, do monopólio da imprensa, do imperialismo, do PSDB, PMDB, DEM e da extrema-direta e a esquerda pequeno-burguesa seja involuntária ou inconsciente. O ataque do judiciário contra Lula foi saudado freneticamente tanto por PSTU, PSol e grupos menores quanto pela Bovespa.

O ataque da direita foi imediata, clara e entusiasticamente apoiado pelos dirigentes do PSTU e do PSol. Lembraram-se todos do seu entusiasmo pregresso pela “luta contra a corrupção” levada adiante por notórios corruptos. Aplaudiram as medidas ilegais e inconstitucionais de um judiciário a serviço do golpe como fizeram na época do “mensalão”.

O pretexto não é apenas insustentável, é ridículo. “Lula é um traidor”, gritam, “Lula está relacionado com as empreiteiras”, como se qualquer argumento político pudesse justificar o apoio escandaloso e criminoso à violação sistemática dos direitos democráticos não apenas de Lula, mas de todos os brasileiros!

Haverá quem acredite que seria possível a cena onde um Marx, um Engels, um Lênin ou um Trótski sairiam gritando para a direita que colocasse um dirigente da esquerda na cadeia, por mais odioso que fosse? E, pior, com tais métodos?

É preciso esclarecer, também, que nesta questão não há qualquer possibilidade de apoio condicional à operação golpista: apoio isto, mas discordo daquilo. Não, porque se trata de um processo de perseguição política e de tomada à força do poder governamental onde os detalhes são de nenhuma importância.

A campanha contra Lula é levada adiante pelo imperialismo. Nada tem a ver com sítios e pedalinhos ou apartamentos, mas com os interesses maiores dos governos das grandes corporações em crise. Qualquer pessoa minimamente informada sabe disso e os dirigentes do PSTU, Psol, PCB e grupos menores que gravitam na sua órbita não têm o direito de não saber disso.

Pedem com forçada ingenuidade que todos sejam investigados! A direita golpista e o imperialismo vão montar um processo para conseguir de qualquer modo, por qualquer meio, incriminar os seus aliados no país? Sim, porque o processo do PT, de Dilma Roussef e de Lula é feito do fim para o começo: primeiro estabelecem um objetivo, tomar o poder, depois assinalam as vítimas e, aí, partem para encontrar “provas” e instruir o processo.

Um dos grupos mais exaltados no apoio à política fascistoide de golpe de Estado, o chamado MNN lançou uma campanha, horas antes do anúncio do promotor direitista pedindo a prisão de Lula porque este é um traidor dos trabalhadores. Aqui vemos toda a política destas pessoas: Sérgio Moro, o PSDB, Rede Globo e toda a escória direitista do país vai punir o “traidor dos trabalhadores”, assim como puniram os corruptos Getúlio Vargas e João Goulart e muitos outros “corruptos” e “traidores” pelo mundo afora por várias décadas. Quem não sabe disso, não deveria intrometer-se na política.

Qualquer estudante de direito pode dizer que o processo jurídico tanto do Mensalão, como da Lava-Jato como os demais são apenas uma fachada de processo legal. A campanha moralista da “luta contra a corrupção”, insuflada pelo monopólio da imprensa, uma ditadura inominável, deu a um punhado de juízes e procuradores do quinto escalão (os do primeiro cautelosamente se esconderam nos bastidores) um poder ditatorial. O apoio a esta comédia judicial por inúmeros políticos e juristas democráticos é uma manifestação de insondável covardia típicas das burocracia que prefere entregar todos os direitos e princípios a ameaçar seus cargos e carreiras. Já o apoio de partidos como PSol, PSTU e PCB, que se consideram de esquerda, socialistas e revolucionários, é mais uma bizarria da política e desnuda a sua indigência política e intelectual, bem como moral, seu cavalo de batalha favorito.

O veredito político está claro: a favor da repressão estatal, a favor da ação ilegal e antidemocrática do Estado, a favor da campanha sórdida do monopólio de imprensa capitalista, a favor da liquidação de todos os direitos democráticos, a favor do imperialismo, a favor do golpe de Estado. Na linha final do processo político dessa esquerda lê-se: culpada!

A denúncia impiedosa dessa esquerda que se arrasta atrás do imperialismo e da extrema-direita é fundamental para abrir caminho para uma ampla mobilização para derrotar o golpe de Estado em marcha.

artigo Anterior

Como os golpes são vitoriosos

Próximo artigo

Revista João Cândido: a revista da luta do negro

Leia mais

Deixe uma resposta