O golpe é contra todos nós

Compartilhar:

 

Nessa sexta-feira, 4 de março, Lula foi preso. Diante das manifestações espontâneas contra sua prisão, ele foi liberado, o que de outro modo provavelmente não aconteceria, uma vez que a Lava Jato tem se notabilizado pelas prisões arbitrárias, por suspeita, muitas vezes feitas com o objetivo de arrancar confissões do prisioneiro.

A prisão de Lula foi o tiro de largada do golpe e não sua conclusão. Embora Dilma, Lula e o PT sejam o alvo primeiro dos golpistas, o golpe tem objetivos muito mais profundos.

É preciso derrubar o governo do PT para que o imperialismo continue controlando completamente o País e impor sua política de terra arrasada.

Para isso, não basta o impeachment. É preciso acabar com Lula, candidato natural a 2018 e líder popular capaz de fazer outros sucessores. É preciso acabar com o PT, pois de outro modo o golpe voltaria à estaca zero.

Para realizar tudo isso, é preciso mudar o regime político e, ao que tudo indica, abrir o jogo e mostrar que é de fato um golpe que está em marcha e instituir uma ditadura aberta se necessário.

Se a direita, a serviço do imperialismo, montou uma imensa operação e quer colocar em prática um plano dessa envergadura, ela tem motivos muito prementes, que vão muito além do alvo inicial.

O PT, não obstante sua política de conciliação, é um obstáculo aos planos imperialistas, em razão da sua influência entre a classe operária e a pressão que essa última exerce sobre o partido.

Esse fato impede que o PT seja uma expressão acabada e direta dos interesses imperialistas no País.

O regime capitalista de conjunto se encontra hoje em uma situação bastante crítica. A polarização das eleições norte-americanas, bem como o crescimento da extrema-direita em vários países europeus são alguns dos sintomas dessa crise.

A saída do imperialismo é despejar a crise nos países atrasados, que ela domina. Daí que esteja havendo uma nova onda de golpes de Estado, que já atingiu países como Ucrânia, Egito, Tailândia, Honduras, entre outros.

O objetivo do golpe é arrancar tudo o que o imperialismo puder para conter sua própria crise. Acabar com todas as garantias trabalhistas, como defendeu o ministro do Tribunal Superior do Trabalho; acabar de vez com os serviços públicos à população; privatizar o que há para ser privatizado; doar todas as riquezas brasileiras às potências estrangeiras. Tudo isso só pode ocorrer com um governo capacho do imperialismo que imponha tais medidas pela força bruta. Por isso, não só o PT sofreria com o golpe, mas toda a esquerda e toda a população, que teria seus direitos suprimidos para possibilitar a implementação desse plano de roubo do povo.

Esse é objetivo do golpe. Ele não é contra Lula, Dilma ou o PT: o golpe é contra toda a população brasileira.

artigo Anterior

A direita golpista queima os dedos

Próximo artigo

Globo defende abertamente intervenção militar caso o governo Dilma continue

Leia mais

Deixe uma resposta