Prefeito do PSOL é cassado por ser de esquerda

Compartilhar:

Anulação do mandato do prefeito é parte da ofensiva direitista no país contra a esquerda

 

O prefeito da cidade de Itaocara (RJ), Gelsimar Gonzaga, do PSOL, teve seu mandado cassado na noite de 23 de fevereiro pela Câmara dos Vereadores da cidade. O motivo da cassação foi que o prefeito teria atrasado uma suplementação orçamentária à Câmara. O motivo real para cassação de Gelsimar, no entanto, é outro, é político, consiste na intensa perseguição a todos os setores de esquerda levada a cabo pela direita no país. Dessa forma, apesar de qualquer pretexto, o prefeito foi cassado por ser da esquerda, o mesmo não valeria se fosse filiado a um partido de direita

Durante seu mandato, o prefeito, que é ex-cortador de cana e sindicalista adotou algumas medidas populares, como a eleição para os cargos das secretárias municipais, reforma das escolas da cidade, asfaltamento das ruas, compra de ambulância, passe livre entre outras. Por ser uma pessoa popular e mais ainda por estar ligado a um partido de esquerda, Gelsimar sofreu intensa perseguição ao longo de seu mandato. O próprio motivo da cassação tem a ver com um pedido feito pelo prefeito para que a Câmara liberasse uma verba orçamentária para o pagamento dos funcionários municipais. Os vereadores não apenas recusaram a proposta como exigiram que primeiro o prefeito deveria enviar uma verba para a Câmara para que orçamento fosse liberado. O suposto atraso da suplementação aos vereadores vem desse fato.

Para além dessa disputa, o que fica claro é a investida da direita golpista, seja a nível federal, estadual ou municipal contra toda e qualquer organização (partido, sindicato, movimento social),  militante ou até mesmo alguma política que tenha algum caráter de esquerda. A cassação do prefeito do PSOL soma-se a um quadro mais geral no qual se insere a perseguição e até mesmo prisão de vários dirigentes do PT, a execução de sindicalistas ou pessoas ligadas aos movimentos sociais, como foi o caso de Francisca das Chagas, sindicalista baiana morta no início do ano, a morte do também prefeito Moisés da Silva da cidade de Chiador, do PCdoB.

É necessário que todos os setores de esquerda se mobilizem para reagir e enfrentar esses ataques da direita golpista e fascista.

 

 

 

artigo Anterior

Filie-se ao PCO, o partido que luta contra a ditadura do judiciário

Próximo artigo

Estado de exceção é preparação para o golpe

Leia mais

Deixe uma resposta