A campanha de desmoralização de Lula e da esquerda pela imprensa golpista

Compartilhar:

Matéria publicada pelo jornal golpista o Estado de S. Paulo revela o quão a direita nacional está se sentindo cada vez mais a vontade para atacar e desmoralizar toda a esquerda nacional, em especial o PT. A matéria em si é um ataque aberto ao ex-presidente Lula devido as suas declarações sobre o resultado das eleições municipais deste último ano.

De acordo com a matéria, Lula teria criticado o conservadorismo dos eleitores paulistas, além de ter relacionado a derrota eleitoral com o golpe de estado em curso no país e o interesse dos golpistas em vender todas as riquezas nacionais, como o pré-sal.

Em tom de deboche, o jornal burguês procurou escrachar Lula, dando a entender que as declarações dadas por ele não passam de bobagens, feitas por uma pessoa  idiota e totalmente fora da  realidade.

O jornal, que defendeu e defende  o golpe e todas as medidas impostas contra a população pelos golpistas, afirmou que Lula não quis aceitar o fato da derrota do PT nas eleições significar uma suposta rejeição completa da população ao Partido dos Trabalhadores e aos últimos anos de governo petista,além de representar um apoio incondicional à direita.

Primeiro é preciso deixar claro que quem quer enganar de fato o povo é a direita e a sua imprensa. Afirmar que de uma hora para outra a população de São Paulo deixou de apoiar o PT para abraçar um programa de ataques à suas condições de vida defendido abertamente por figuras golpistas como João Dória do PSDB, não passa da mais cínica piada, é um verdadeiro deboche contra o povo. Por mais ingênua que uma determinada pessoa possa ser, ela sabe que a direita e figuras como Dória, Temer, entre outras não tem nada a ver com a população. Assim como partidos iguais ao PSDB, PMDB e DEM não representam nem de longe os interesses das classes mais pobres e exploradas.

O que de fato ocorreu nas eleições, e é encoberto pela direita, foi que a votação desse ano se deu em meio a um golpe de estado. A direita, com apoio da imprensa golpista, fez uma intensa campanha contra a esquerda, além de manipular as regras eleitorais ao seu favor, diminuindo o tempo de campanha, restringindo e praticamente impossibilitando as campanhas de rua, como panfletagens e colagens de cartazes. O debate eleitoral foi totalmente controlado pelos meios de comunicação, como a Globo e os jornais golpistas. Em resumo, não houve campanha, o que, logicamente, favoreceu os candidatos da direita. O elevado número de abstenções, votos brancos e nulos também correspondem a esse fato.

Na realidade a matéria do Estado de S. Paulo tem um único objetivo: desmoralizar Lula e a esquerda. Isso sem falar no ataque à campanha contra o golpe de estado. Por outro lado, o tom abertamente ofensivo revela também o incômodo dos golpistas quando suas manobras são denunciadas. Nesse sentido, é preciso reagir à ofensiva da direita e organizar, por meio da formação dos comitês, uma ampla campanha contra o golpe de estado. Denunciar o golpe a política de repressão e de ataques aos direitos que os golpistas vêm impondo sistematicamente.  

artigo Anterior

Repressão na Universidade de Goiás

Próximo artigo

Ataque ao MST: o País sob uma ditadura policial

Leia mais

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.